Revés ilustra declínio da Cabofriense, que fecha Taça GB em último no Grupo B

A primeira impressão foi altamente positiva. A Cabofriense iniciou a Taça Guanabara, em 20 de janeiro, batendo o Botafogo por 3 a 1 e se colocando como postulante a uma das vagas nas semifinais. O que se viu depois, no entanto, foi decepcionante. O desempenho baixou e o Tricolor encerrou a fase classificatória na lanterna do Grupo B, sendo goleado por 4 a 0 pelo Flamengo.

Após a exibição de gala diante do Botafogo, a Cabofriense viu o embalo ser interrompido pela derrota diante do Boavista. Nada que assustasse tanto, já que se tratava de um duelo fora de casa. Logo na sequência, no Correão, a chance de recuperação viria. No entanto, o empate por 1 a 1 deixou um gosto amargo, principalmente por ter saído na frente do placar.

Na quarta rodada, mais um embate para se reerguer. Em confronto direto contra o Bangu, a Cabofriense teve a oportunidade de se colocar em condição favorável para avançar às semis. No fim das contas, perdeu por 1 a 0 e ainda viu o Resende superar o Botafogo. Combinação que pôs fim ao sonho de classificação à fase seguinte do turno.

Restou, na jornada derradeira, o duelo contra o todo poderoso Flamengo. Aguerrida, a Cabofriense se portou bem e fez frente no Maracanã lotado, mas não conseguiu segurar o Rubro-Negro, que transformou o triunfo por 2 a 0 em goleada de quatro após dois gols após os 40 minutos do segundo tempo.

Em baixa, o time de Cabo Frio fechou o Grupo B na lanterna, atrás até mesmo do Botafogo, o qual derrotou na estreia. No geral, o Tricolor ocupa a nona colocação, dois pontos à frente do Madureira, que abre a zona de Seletiva. A Taça Rio, que terá viés de reabilitação, começa entre os dias 23 e 24, com o duelo diante da Portuguesa, no Correão.

Comentários