Americano recebe a Cabofriense em Bacaxá, pela segunda rodada da Taça Rio


Neste sábado (02/03), às 16h30, o Americano recebe a Cabofriense, no estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema. Em busca de garantir pontos importantes para garantir a permanência na Série A do Campeonato Estadual, o Alvinegro ganhará o importante reforço do zagueiro Gabriel, ausência nos dois últimos jogos, em recuperação de torção no tornozelo esquerdo.

Para o jogador, fora desde a partida contra o Madureira, na última rodada da Taça Guanabara, a expectativa é grande no retorno aos gramados.

“Depois de um mês fora, voltar a fazer o que eu amo é uma felicidade enorme. Acredito que neste jogo contra a Cabofriense, vamos conseguir nos aproximar melhor em campo, chegar mais vezes no gol adversário e tornar o jogo melhor pra gente” disse ao site oficial.

Além do retorno de Gabriel, o Glorioso pode contar com a volta do zagueiro Admilton, fora do jogo contra o Flamengo, por dores lombares.

A delegação alvinegra viajou no início da tarde desta sexta-feira (01/03), e já se encontra na cidade de Itaboraí, onde ficará concentrada até momentos antes do confronto contra a equipe da Região dos Lagos.

Provável escalação: Luis Henrique; Rafinha, Admilton, Gabriel e Léo Rosa; Abuda, Vandinho, Marquinhos, Flamel, Leozinho e Romário.

CABOFRIENSE
A Cabofriense de Valdir Bigode deixou uma primeira impressão positiva. Na estreia do novo treinador, vitória por 2 a 0 sobre a Portuguesa, aliando defesa sólida e ataque eficiente. O ajuste tático observado indica que o tempo para treinamentos foi bem aproveitado. Os defensores comemoraram o bom desempenho.

- Importante ficar sem sofrer gols. No primeiro turno fizemos grandes jogos, mas por detalhes não conseguimos as vitórias. O jogo foi difícil. A Portuguesa é um grande time, mas conseguimos manter a frieza, fazendo nosso trabalho - disse o goleiro George em entrevista à Rádio Cabo Frio FM.

Bruno Lima, zagueiro que recebeu a braçadeira de capitão, ressaltou a grande disputa por posição no miolo defensivo. A lealdade entre os concorrentes é um dos pontos fortes, conforme explica.

- Temos oito zagueiros qualificados, que passaram por grandes clubes, de história. Nossa disputa é no dia a dia. Acima de tudo somos muito amigos, independente de quem jogar, fazendo o melhor papel possível. O Roberto (Junior), por exemplo, não entrou, mas tem voz muito ativa e é muito importante no grupo.

Comentários