Diego Souza marca, Botafogo goleia Portuguesa e segue vivo na Taça Rio

Botafogo x Portuguesa
O Botafogo fez o dever de casa e manteve viva a chance de classificação para as semifinais da Taça Rio, segundo turno do Carioca. O Alvinegro venceu a Portuguesa-RJ por 4 a 1, na noite desta quinta-feira, no Nilton Santos. Todos os gols saíram no segundo tempo. Diego Souza, Gustavo Ferrareis, Alex Santana e Marcão (contra) fizeram os gols da equipe comandada por Zé Ricardo, enquanto Nilson descontou para a Lusa. 

Com a vitória e o empate em 1 a 1 entre Cabofriense e Volta Redonda, o Botafogo seguiu vivo no Estadual. Agora, na última rodada o Alvinegro precisa vencer o Americano no domingo, torcer para que o Flamengo perca o Fla-Flu e a Cabofriense no máximo empate com o Madureira. Além disso, precisa tirar um saldo de quatro gols do Rubro-Negro.

Início morno no Niltão
Precisando vencer para manter-se vivo no Carioca, o Botafogo foi para cima da Portuguesa nos primeiros minutos de jogo. Diego Souza teve chance de abrir o placar aos 2 minutos, quando ficou cara a cara com Edson e bateu em cima do goleiro da Lusa. Mas foi só. A partir daí, o time de Zé Ricardo passou a errar na saída de bola, não conseguiu encaixar os ataques e mostrou pouca criatividade. Erik, artilheiro na temporada, estava sumido em campo. Com o gramado pesado pela chuva, a Portuguesa apenas esperava o erro do Alvinegro para tentar um contra-ataque. 

Trapalhada da arbitragem
Após a parada técnica o time comandado por Aílton se animou. Aos 27, Diguinho cobrou falta no travessão e a Portuguesa foi pra cima do Botafogo, que continuava cometendo os mesmos erros. Três minutos mais tarde, o juiz marcou pênalti de Pimpão em Nilson, depois de um escanteio. Com a bola na marca do cal e Diguinho preparado para a cobrança, o árbitro Alexandre Vargas Tavares desistiu da marcação, acompanhando sinalização do assistente atrás do gol de que não houve falta. Ainda assim, o clube da Ilha não se abateu e continuou criando as melhores chances até o fim da primeira etapa. Do outro lado, nada funcionava para o Alvinegro. Alex Santana não funcionou como primeiro volante e Cícero não deu a dinâmica esperada por Zé Ricardo. 

Enfim, os gols
Em um espaço de quatro minutos, três gols saíram no Nilton Santos. O Botafogo voltou do intervalo ainda jogando mal e quando a paciência da torcida já se esgotava, o pressionado Marcinho cruzou fechado, a bola bateu na trave direita e sobrou para Diego Souza livre marcar o seu primeiro gol com a mítica camisa 7 alvinegra, aos 8 minutos. Gustavo Ferrareis ampliou dois minutos mais tarde após belo lançamento de Cícero e Nilson descontou para a Lusa ao finalizar na saída de Cavalieri, aos 12. 

Fim do sufoco
Depois do susto, Zé Ricardo mexeu no time, sacando Cícero e Erik para a entrada de Wenderson e Luiz Fernando. Mas quem resolveu foi o até então sonolento Alex Santana, que marcou um golaço em chute colocado da entrada da área, após troca de passes com Pimpão, aos 21 minutos. Mais aliviado, o Botafogo passou a errar menos passes. E foi rodando a bola que o time completou a goleada e ganhou sobrevida no Carioca. Novamente Pimpão avançou pela ponta direita e cruzou para a área. O zagueiro Marcão se atrapalhou e marcou contra. 


FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 4 X 1 PORTUGUESA

Data/Hora: 21/03/2019, às 21h30 (de Brasília)
Local: Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro (RJ)
Público/Renda: 1.012 pagantes e 1.403 presentes/ R$ 18.897
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ) Nota L!: 5,0 Arbitragem confusa, demorou muito para anular o pênalti a favor da Portuguesa e não mostrou firmeza nas decisões. 
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Thiago Varela Dos Santos (RJ)
Cartão amarelo: Marcinho, Luiz Fernando (BOT); Marcão, Emerson, Diguinho (POR)
Gols: Diego Souza (1-0, 8’/2ºT), Gustavo Ferrareis (2-0, 10’/2ºT), Nilson (2-1, 12’/2ºT), Alex Santana (3-1, 21’/2ºT) e Marcão (C) (4-1, 38’/2º/T)


BOTAFOGO: Diego Cavalieri; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Jonathan; Alex Santana, Cícero (Wenderson, 18’/2ºT) e Gustavo Ferrareis (João Paulo, 29’/2ºT); Rodrigo Pimpão, Erik (Luiz Fernando, 18’/2ºT) e Diego Souza. Técnico: Zé Ricardo

PORTUGUESA: Ruan; Filippe Formiga, Marcão, Emerson (Douglas Eskilo, 25’/2ºT) e Diego Maia; Muniz (Romarinho, 33’/2ºT), Diguinho (Tiago Amaral, 37’/2ºT), Romarinho, Douglas Eskilo e PK; Fabinho. Técnico: Aílton Ferraz

Comentários