Mesmo sofrendo poucos gols, erros na defesa custam caro ao Fluminense

Bangu x Fluminense Matheus Ferraz
Um dos setores mais complicados no Fluminense dos últimos anos, a defesa vem sendo um dos pontos fortes da equipe na temporada. No entanto, apesar do tricolor ter levado poucos gols, os jogadores do setor erraram nos cinco sofridos até aqui. Contra o Resende, uma saída de bola equivocada terminou com o gol adversário, que quase complicou a vida do time de Fernando Diniz.

Depois do Flu perder a bola no campo de ataque, Caio Henrique não conseguiu dominar e o Resende encaixou o contra-ataque. Zambi limpou a jogada e deu para Maxwell, que chutou e aproveitou o desvio em Matheus Ferraz para abrir a contagem. A defesa é um dos setores chave para que o estilo de Diniz funcione, mas ainda faltam ajustes. Na bola aérea, por exemplo, dos cinco gols sofridos, dois foram assim (ambos contra o Vasco). 

- Faltou não entrar no segundo tempo de maneira sonolenta. O time entrou de maneira dispersa. O Resende, em um chute que desviou, marcou o gol, mas nós entramos de uma maneira que não era para entrar. No segundo tempo, tivemos muito mais mobilidade e interesse de ganhar o jogo. Tem sido a tônica do time. Demos uma vacilada e tivemos o azar do desvio, mas possibilitamos que o Resende tivesse a chance do chute - disse Diniz após o confronto contra o Resende.

Na estreia da Taça Guanabara, o Volta Redonda saiu na frente no placar com um gol de pênalti. A jogada que resultou na falta cometida pelo goleiro Rodolfo aconteceu após um erro de domínio de Everaldo no meio do campo. O atacante tentou correr para se recuperar, seguido de Ibãnez e Matheus Ferraz, mas só o arqueiro tricolor parou a jogada.

Na partida contra a Portuguesa, quando o Fluminense venceu por 3 a 1, mas sofreu para construir o resultado, o gol dos adversários saiu após jogada individual de Douglas Eskilo. No lance, Nathan Ribeiro quase conseguiu interceptar a bola do atacante, mas acabou devolvendo no pé dele, que passou livre para chutar. Vale destacar que três jogadores do Flu entraram na jogada para tentar desarmar o camisa 16.

Contra o Vasco, ainda na fase de grupos da Taça Guanabara, o erro foi a penalidade feita por Nathan Ribeiro, que abriu o braço dentro da área. A jogada originou-se de um escanteio afastado pela defesa vascaína. Já na final, Marlon fez uma falta boba em Rossi já aos 35 do segundo tempo. Danilo Barcelos foi para a cobrança e ninguém conseguiu encostar na bola.

No total, foram dois empates, duas derrotas e uma vitória nas partidas em que o time tricolor sofreu gols. Para a continuidade da temporada, o Fluminense precisará melhorar no setor se não quiser se complicar em jogos grandes.

Comentários