Pela primeira vez, Mancha Verde é campeã do Carnaval de São Paulo

Desfile Mancha Verde
De forma inédita, a escola Mancha Verde, ligada à torcida organizada do Palmeiras, é campeã do Carnaval de São Paulo. O título do Grupo Especial foi decidido no último quesito, a alegoria, uma vez que a agremiação alviverde mantinha o mesmo número de pontos da Acadêmicos do Tatuapé, que buscava em busca do seu tricampeonato. 

As outras escolas ligadas as organizadas do futebol, Dragões da Real (São Paulo) e Gaviões da Fiel (Corinthians) terminaram na segunda e nova colocações, com 269.9 e 269.5 pontos, respectivamente. Tucuruvi e Vai-Vai foram rebaixadas ao Grupo de Acesso. 

No Sambódromo do Anhembi, a Mancha Verde apresentou o samba-enredo "Oxalá, Salve a Princesa". que enalteceu a princesa africana Aqualtune e discutiu questões sobre a escravidão, direitos dos negros e mulheres e intolerância religiosa. A modelo e atriz Viviane Araújo se destacou como rainha da bateria. 

Para o Carnaval deste ano, a Mancha Verde contou com a doação da Crefisa, patrocinadora master do Palmeiras, no valor de R$ 3.426.370,00 - de acordo com os dados do Ministério da Cultura, via Lei Rouanet.

Dragões da Real fica com o vice; Gaviões fica em 9º
A Dragões da Real, da torcida organizada homônima do São Paulo, ficou com o vice-campeonato, com 269.9 pontos - ao lado da Rosas de Ouro (269.9).  A escola falou sobre o passado, presente e futuro no Anhembi com o samba-enredo "A Invenção do Tempo - Uma Odisséia em 65 minutos", do carnavalesco Mauro Quintaes. 

A Gaviões da Fiel, que tem quatro títulos no Carnaval paulista, desta vez, não conseguiu brigar pelo troféu. A escola fez uma releitura de um enredo que havia apresentado em 1994, sobre a história do tabaco, mas não encantou os jurados. 

Comentários