Muitas conquistas marcam dois anos do Projeto Paraesporte

O projeto Paraesporte completou, no último dia 03, dois anos de implantação. Mas a festa de aniversário aconteceu neste sábado (13) na área externa da Fundação Municipal de Esporte (FME), reunindo alunos, familiares, convidados e equipe técnica. A festa teve direito a bolo de aniversário, partida de futebol, pula-pula, pipoca e cachorro-quente para os aniversariantes. Além de homenagens ao prefeito Rafael Diniz, ao presidente da FME, Raphael Thuin e ao Coordenador do Paraesporte, Fábio Coboski que receberam placas de agradecimento pelo projeto. Os alunos Jésika Damiana, Márcia Regina, Maria Clara e Francine entregaram, respectivamente, as placas aos homenageados. Além da presença do cover do rei Roberto Carlos, que foi representado pelo atleta  Marcelo Gonçalves, o Fofão, que encantou o público cantando "como é grande o meu amor por você".

O Paraesporte veio para transformar a vida das pessoas com deficiência, garantindo a inclusão na sociedade, pelo esporte. Ao longo desse período, o Paraesporte cresceu, superando as expectativas do prefeito Rafael Diniz e do presidente da Fundação Municipal de Esportes, Raphael Thuin. Atualmente é considerado o maior projeto público esportivo de inclusão social do Brasil.
- Cerca de mil pessoas são atendidas no projeto que oferece onze modalidades esportivas. Além de atender às pessoas com deficiência, a equipe técnica trabalha transformando o Projeto Paraesporte em uma grande família, como pode ser visto nesta festa de aniversário. E agradeço o empenho de cada um da equipe que não mede esforços para acolher os alunos e família, explicou o coordenador do Paraesporte, Fábio Coboski.    

— É um orgulho enorme ter sonhado e implantado, juntamente com o prefeito Rafael Diniz, esse projeto inovador na cidade, que é o Paraesporte- hoje considerado o maior projeto público esportivo, voltado para pessoa com deficiência do Brasil. O projeto incentiva a inclusão e o resultado é nítido porque, em menos de dois anos, chegamos a ser o segundo melhor do mundo no futebol e o terceiro no vôlei de praia. É motivo de muito orgulho e satisfação e tenho certeza que serve de exemplo para todos. Diariamente as pessoas com deficiência nos ensinam muito a superar as dificuldades. É uma troca de experiências incrível — destacou o presidente da Fundação Municipal de Esportes Raphael Thuin.
O reconhecimento do trabalho pode ser visto com a dona de casa Cíntia Ferreira, de 36 anos, que matriculou o filho Francisco Miguel, de 11 anos, há dois meses no Paraesporte. Ela recebeu orientação de nutricionista para que seu filho, que é autista, fizesse alguma atividade física porque precisava emagrecer. "Ao longo desse período, Francisco já conseguiu perder 6 quilos e ganhei novo ânimo para enfrentar os desafios de lidar com o Autismo", destacou a mãe.  

- Hoje o Francisco faz natação, iniciação esportiva e dança. O projeto foi um presente nas nossas vidas. Além de cuidar da saúde, perdendo peso que precisa, as atividades têm ajudado bastante na interação com outras crianças, porque ele é filho único e até então ficava mais dentro de casa. Até para mim está sendo muito bom porque também recebo apoio da equipe de profissionais e isso tem me ajudado muito a entender melhor o autismo do meu filho", disse a moradora de Mineiros, na Baixada Campista.
Vanessa Aguiar Pereira também está muito feliz com o atendimento e acolhimento que a filha Maria Vitória, de 6 anos, que tem osteogénese imperfeita (ossos vidros) vem recebendo da equipe. "Há um mês matriculei na aula de natação e a vida dela mudou. Até o comportamento na escola regular mudou para melhor. Ela precisa desse fortalecimento dos músculos e eu não teria condições financeiras para pagar um serviço particular", comentou a mãe Vanessa.

Comentários