Ambientado no Campos, volante Abuda fala da expectativa para o jogo deste sábado


O volante Abuda chegou há pouco mais de um mês ao Campos, mas o atleta já está ambientado no clube, afinal Abuda tem entre os colegas de time o goleiro Patrick e o apoiador Paulo Vitor, que vieram com ele do Americano; além do zagueiro Thurran, com quem Abuda jogou nas categorias de base do próprio Campos; e o goleiro Elvis, com quem Abuda jogou no Rio Branco, de Campos.

- Já me sinto bem no clube. Os que já estavam me receberam e me acolheram super bem. Estou muito bem no Campos até porque eu já tinha um carinho pelo Roxinho, me senti bem em vim prá cá. Trabalhamos forte durante o mês para conseguir nosso primeiro objetivo que era conseguir nossos primeiros três pontos na estreia. Vamos continuar trabalhando firme para alcançar mais objetivos – afirmou o atleta.

Autor do passe que resultou na jogada do gol da vitória de 1 a 0 sobre o Tigres no estádio Los Larios no sábado (25/05), Abuda comentou sobre suas características. “É natural a questão do passe. Eu marco mais, mas sempre quando precisa, tem uma brecha, eu dou passe também. Ajudo mais a marcar, roubo a bola e entrego no pé de quem realmente faz isto. Mas se cair no meu pé, eu faço também”, disse o atleta.

Abuda falou sobre a expectativa para o jogo da 2ª rodada da Série B do Carioca neste sábado (01/06) às 15 horas contra o Serra Macaense no Aryzão. “As expectativas para este sábado são as melhores. Graças a Deus estreamos com o pé direito, conseguimos a vitória fora de casa. Treinamos forte na semana com o professor Souza. Procuramos assimilar bem o que ele está nos passando para colocarmos em prática dentro de campo. Vamos lutar até o final para sairmos com a vitória” afirmou o jogador de 25 anos.

Registrado como Sidney, Abuda contou como surgiu o apelido. “Eu sempre fui fortinho. E na infância começaram a me chamar de Buda. Cheguei ao Campos em 2007 com este apelido. Aí o meu técnico no Sub-15, Randal, confundiu e começou a me chamar de Abuda. Fiquei sem graça de falar com ele, é Buda. Aí foi pegando o apelido. Antes mesmo do Abuda do Vasco”, lembra Abuda, que em 2008 foi Campeão Campista Sub 15 da centenária Liga Campista de Desportos (LCD) pelo Campos no time comandado pelo técnico Randal Turrini.

Abuda também é grato ao técnico Cristiano Gomes, que o treinou no time do Campos que representou a LCD em 2009 e foi Campeão Estadual Sub 17 do Campeonato de Ligas Municipais da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e o levou para o Rio Branco, onde jogou no Sub-20, tendo o próprio Cristiano Gomes como técnico, e chegou a jogar algumas partidas nos profissionais do Rio Branco, onde Cristiano Gomes foi auxiliar técnico, em 2012, no último ano do Róseo-Negro em competições profissionais.

No Sub 15 do Campos, Abuda era zagueiro. O técnico Cristiano Gomes começou a escalar Abuda como volante na Seleção Campista Sub 17 e no Sub 20 do Rio Branco. Já no Americano, para onde Abuda foi em 2013, onde se profissionalizou e virou ídolo da torcida alvinegra, surgiu o novo apelido: Pitbull. “Foi naturalmente, pela posição e da forma que jogo”, explica Abuda, que teve ainda passagens por empréstimos na Desportiva Ferroviária-ES e na Portuguesa-RJ.

Reportagem: Wesley Machado/ Comunicação Campos
Foto: Vitor Costa/FutRio

Comentários