Faltam 33 dias: cidades começam a se mobilizar para a Copa América 2019

Entre 14 de junho e 7 de julho, acontecerá a Copa América no Brasil. A competição volta ao País após 30 anos. Os jogos serão nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Salvador (BA). Apresentamos a seguir um panorama dos preparativos das cidades para receber o evento esportivo.


SÃO PAULO

Entre 14 de junho e 7 de julho, acontecerá a Copa América no Brasil. A competição volta ao País após 30 anos. Os jogos serão nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Salvador (BA). Apresentamos a seguir um panorama dos preparativos das cidades para receber o evento esportivo.

Na Arena Corinthians, na zona Leste, o Brasil enfrentará o Peru, em 22 de junho, às 16h. Haverá, também, uma partida das quartas de final, no dia 28, e a disputa do terceiro lugar, em 6 de julho.

Ainda na cidade, os centros de treinamentos do São Paulo e do Palmeiras serão utilizados pela Seleção Brasileira.

O sistema de segurança será parecido com o da Copa de 2014: em cada jogo, haverá 800 policiais. Outras informações sobre a logística para receber as partidas não estão disponíveis nos sites da Prefeitura e do Governo do Estado.



RIO DE JANEIRO

O Estádio do Maracanã, na Capital Fluminense, sediará a final da Copa América, em 7 de julho, e mais quatro jogos: em 16 de junho, Paraguai e Catar; no dia 18, Bolívia e Peru; no dia 24, Chile e Uruguai; e uma partida das quartas de final, no dia 28.

O estádio passou por reformas recentes para abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 e, desde abril, é gerido por Flamengo e Fluminense.

Com o antigo consórcio que administrava o Estádio, liderado pela Odebrecht, a Conmebol tinha um acordo de pagar R$ 1,750 milhão para alugá-lo por dois meses. Esse contrato tende a ser revisto.


BELO HORIZONTE

O Estádio do Mineirão, na Capital Mineira, receberá cinco jogos. O primeiro entre Uruguai e Equador, em 16 de junho. No dia 19, jogarão Argentina e Paraguai; no dia 22, Bolívia e Venezuela; e no dia 24, Equador e Japão. Em 2 de julho, haverá uma partida da semifinal, que pode ser a do Brasil, caso avance em primeiro no grupo A. O centro de treinamento do Atlético Mineiro será utilizado pela Seleção Brasileira caso isso aconteça.

A tendência é que nos dias de jogos sejam repetidas as estruturas logísticas adotadas na Copa do Mundo de 2014.

Assim como nos casos de São Paulo e Rio de Janeiro, não há informações disponíveis sobre os preparativos da Copa América nos itens de busca nos sites da Prefeitura de Belo Horizonte e do governo mineiro.


PORTO ALEGRE

A Arena do Grêmio, na Capital Gaúcha, inaugurada em 2012, receberá cinco jogos, o primeiro em 15 de junho, entre Venezuela e Peru. No dia 20, jogarão Uruguai e Japão; e, no dia 23, Catar e Argentina. Nas quartas de final, caso o Brasil seja o primeiro no grupo, jogará na Arena do Grêmio, no dia 27, às 21h30. O estádio receberá ainda um jogo das semifinais, em 3 de julho.

Em fevereiro, o vice-prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim, recebeu a visita dos cônsules do Japão, da Argentina e do Uruguai, para planejar a melhor forma de recepcionar as seleções e os turistas. Em março, aconteceu o primeiro encontro com os responsáveis pela segurança para alinhar ações, desde ingresso de torcedores nas fronteiras até os espaços turísticos da cidade que possam reunir milhares de pessoas.


SALVADOR

A Arena Fonte Nova, na Capital Baiana, receberá, em 15 de junho, a partida entre Argentina e Colômbia; no dia 18, entre Brasil e Venezuela; no dia 21, entre Equador e Chile; no dia 23, jogarão Colômbia e Paraguai; e, em 29 de junho, um jogo das quartas de final.

Os estádios do Pituaçu e do Barradão serão usados para a estrutura de treinos das seleções que forem jogar na Bahia.

Representantes do Governo do Estado têm se mostrado otimistas com a possibilidade do aumento na quantidade de turistas durante a competição.



SEGURANÇA

O planejamento de segurança da Copa América passará pela utilização de um sistema de reconhecimento facial nos estádios, segundo o Comitê Organizador Local. A ideia é coibir a presença de vândalos ou de pessoas foragidas da Justiça nos estádios.

Um efetivo de 10 mil agentes de segurança privada será contratado para o policiamento dentro dos estádios.

Comentários