Pan 2019, faltam 70 dias: Seminário detalha estrutura do Pan para chefes de equipe

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) reuniu nestas terça e quarta-feira, 14 e 15 de maio, 63 chefes de equipe em sua sede para uma verdadeira imersão na missão Pan-americano de Lima 2019. O Curso de Capacitação de Chefes de Equipe (CCCE) teve apresentações sobre temas fundamentais como detalhamento das vilas e sub vilas, serviços médicos e das ciências do esporte, controle e prevenção de doping, credenciamento, alimentação, transporte, uniformes, logística, comunicação, entre outros.

Além das apresentações, os chefes de equipe tiveram reuniões individualizadas com cada uma das áreas, fizeram exercícios práticos sobre resolução de incidentes e participaram de um workshop sobre “Liderança e Gestão de Pessoas” com a professora Janaína Alves.

O curso realizado pela diretoria de Esportes do COB, em parceria com o Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), tem como objetivo promover o desenvolvimento de habilidades e conhecimentos de Chefes de Equipe.

O CCCE tem quatro módulos: dois presenciais e dois a distância, que vão de maio/2019 a agosto de 2020, incluindo o Pan-americano de Lima e os Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Durante as Missões os participantes estarão sendo avaliados e, ao final, passarão três provas finais.

Nomeado chefe de missão do Time Brasil e vice-presidente do COB, Marco La Porta ressaltou a responsabilidade dos participantes diante das Missões: “É importante que todos estejam focados em antecipar quaisquer problemas. O Pan-americano é o segundo evento mais importante do Esporte no país, abaixo apenas dos Jogos Olímpicos. O Brasil sempre disputou os Jogos e nós temos a responsabilidade de prestar o apoio necessário para que os atletas tenham o melhor rendimento e já começarmos a pensar em Tóquio”.

“O workshop de liderança e gestão de pessoas, para mim, foi o ponto alto do CCCE. Uma atividade sensacional que vai nos ajudar a conhecer a equipe, o perfil de cada atleta e a nós mesmos. Sem dúvidas, é algo que vai nos ajudar muito na Missão”, disse Ney Wilson, que atua como chefe de equipe do judô desde o Pan-americano de Santo Domingo, 2003, incluindo quatro edições de Jogos Olímpicos.

O gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô destacou ainda a importância do intercâmbio entre os líderes mais experientes e os mais jovens e, obviamente, entre as modalidades mais tradicionais e as que estão integrando o Time Brasil pela primeira vez. “Com um curso como esse, os mais novos trocam experiência com os mais antigos, eles têm mais informações e isso gera mais segurança. O meu aprendizado foi mais na tentativa e erro. Agora, participar desse encontro é uma chance de atualização. Conviver com os mais jovens, que estão muito abertos a ouvir e que trazem novas ideias, é um processo de aprendizagem e renovação”, completou Wilson.

O fisiculturismo é uma modalidade que faz a estreia integrando o Time Brasil. Para o chefe de equipe da modalidade em Lima, Rafael Pinheiro, o que mais marcou a participação no encontro foi o profissionalismo com o que o COB organiza a participação dos atletas brasileiros no Pan Americano.

“Considero um marco na minha carreira. Estamos com dois atletas, a Carla Lobo e o Juscelino Santos. É uma honra estar aqui dividindo experiências, conhecimento com treinadores e chefes de missão de outras modalidades. Nós nunca participamos de um encontro desse porte e vou repassar muita coisa que aprendi aqui para a IFBB. É bom ver o profissionalismo com que todos do COB encaram os Jogos Pan-Americanos. É muito bom poder ter uma equipe multidisciplinar dando suporte aos atletas, transporte e hospedagem apoiados pelo Time Brasil, entre outras facilidades. Faremos o melhor pelo Brasil e vamos trazer as medalhas”, disse Pinheiro.

O COB também anunciou seu planejamento para o Pan, cujo principal objetivo é classificar o maior número de atletas e modalidades para Tóquio 2020. Ao todo, 23 modalidades esportivas distribuirão vagas para os Jogos Olímpicos. A delegação brasileira vai contar com aproximadamente 700 integrantes, sendo quase 500 atletas em 50 modalidades.

Os Jogos Pan-americanos Lima 2019 terão aproximadamente 6.680 atletas e 2670 oficiais de 42 países, com disputas em 422 provas de 62 modalidades de 39 esportes. Serão 17 dias de competição, de 26 de julho a 11 de agosto, em 20 arenas de cinco grandes complexos esportivos.

Modalidades em que o Brasil disputará o Pan-Americano
– Atletismo
– Badminton
– Basquete 3×3
– Basquetebol
– Boliche
– Boxe
– Canoagem Slalom
– Canoagem Velocidade
– Ciclismo BMX
– Ciclismo Estrada
– Ciclismo MTB
– Ciclismo Pista
– Esgrima
– Esqui Aquático
– Fisiculturismo
– Ginástica Artística
– Ginástica Rítmica
– Ginástica Trampolim
– Golfe
– Handebol
– Hipismo CCE
– Hipismo Saltos
– Judô
– Karatê
– Levantamento de Peso
– Maratona Aquática
– Nado Artístico
– Natação
– Patinação Artística
– Patinação Velocidade
– Pelota Basca
– Pentatlo Moderno
– Polo Aquático
– Remo
– Rúgbi
– Saltos Ornamentais
– Skate
– Squash
– Surfe
– Taekwondo
– Tênis
– Tênis de Mesa
– Tiro com Arco
– Tiro Esportivo
– Triatlo
– Vela
– Vôlei de Praia
– Voleibol
– Wakeboard
– Wrestling

Modalidades classificatórias ou com parte do processo de classificação para Tóquio 2020
– Atletismo
– Badminton
– Basquete
– Hipismo saltos
– Hipismo adestramento
– Hipismo CCE
– Hóquei
– Caratê (kata)
– Caratê (kumite)
– Nado sincronizado
– Natação
– Pentatlo moderno
– Levantamento de peso
– Saltos ornamentais
– Skate
– Surfe
– Taekwondo
– Tênis
– Tênis de mesa
– Tiro esportivo
– Tiro com arco
– Vela
– Polo aquático

Comentários