Alunos de projeto social de Macaé participam da Corrida de Macuco

Um sonho que, aos poucos, começa a ganhar forma e se consolidar. Assim tem sido o projeto social “Cocada Runners”, criado pelo atleta Joseilton Silva, no início desse ano. Foi graças a corrida de rua que o sergipano, que saiu do interior do nordeste e hoje mora em Macaé, teve a chance de conhecer o mundo. Acreditando no poder transformador do esporte, ele espera dar essa mesma oportunidade para crianças e jovens na Capital do Petróleo.

No final de semana passado, algumas crianças do projeto puderam participar da Corrida de Macuco. “Foi um dia especial. Mesmo sem poder fazer de tudo para levar essas crianças para a prova, fiquei feliz em ajudar a cada um deles. Eles foram muito bem na prova. Fiquei muito orgulhoso”, diz Joseilton.

E motivos de orgulho não faltam. Com um grande nome do esporte como professor, e exemplo, o resultado não poderia ser outro: cinco pódios. “Cada um ali se superou. O Luiz Felipe, com apenas 14 anos, fez os 3Km em 12minutos01seg e foi vice-campeão no Geral. Ganhou R$ 200 e ficou todo feliz. O Cristiano foi o 10 no geral, mesmo tendo passado mal durante a viagem. Ele largou bem e depois parou porque estava se sentindo mal mas, mesmo assim, resolveu voltar e deu uma arrancada espetacular, se recuperou e ganhou um prêmio de R$ 30. A Karol foi a terceira colocada na categoria até 11 anos e ganhou R$ 150. O Lucas foi o quinto colado de 7 a 11 anos e ganhou R$ 50. O Benjamin foi o sexto colado na mesma categoria do Lucas e ganhou R$ 30.

O Rogerinho fez os 9.5Km com os adultos e fez um bom tempo de 41 minutos. Queria muito poder ter levado todas as 18 crianças mas, infelizmente, não tinha como eu pagar uma van. Sei que os outros ficaram tristes, mas espero que um dia consiga apoio para levar todos”, ressalta.

Joseilton relembra como tudo começou. “Coloquei em prática esse projeto no início do ano, aqui no bairro onde moro. Iniciei com os meus dois filhos e, de repente, foram aparecendo crianças e até pais querendo saber se eu cobrava para participarem da escolinha. Falei que não cobrava, pois meu objetivo é fazer algo que possa incentivar esses jovens e, quem sabe, um dia ver algum campeão sair daqui”, conta.

Apesar do pouco tempo, a adesão já é grande. “Mesmo com dificuldades financeiras, pois não temos apoio, já estamos com 18 crianças. A cada dia que passa esse numero só vem crescendo”, conta orgulhoso.

Os treinos, segundo o atleta, acontecem três vezes na semana, no Jardim Carioca II. “Também treinamos, às vezes, em um campinho de futebol que tem no Jardim Franco. Quem tiver interesse em nos ajudar, me procure. Qualquer apoio é válido”, ressalta.

A força de vontade de fazer o projeto, que sempre foi um dos seus sonhos, dar certo é tanto que ele supera as dificuldades. Apesar de ser destaque nas provas por onde passa, entre elas, o XTERRA no Havaí (EUA), a realidade de Joseilton é igual ao de muitos brasileiros. Ganhando apenas um salário mínimo por mês, o ultramaratonista, divide a paixão pelo esporte com os trabalhos de pedreiro e vigia. O jeito simples, um pouco tímido, e o carisma conquistam todos por onde ele passa.

Os interessados em conhecer mais sobre a sua trajetória ou sobre o projeto, ajudar/patrocinar podem entrar em contato com Joseilton através do telefone: (22) 99784-6087, por e-mail: joseilton.silva.santos@outlook.com ou no Facebook: Joseilton da Silva Silva Santos.

Comentários