Patrick supera falta de ritmo e se torna peça-chave em campanha 100%

O Campos iniciou a Série B1 do Campeonato Carioca demonstrando eficiência. No ataque chama atenção o poder de decisão, enquanto a defesa apresenta solidez. O resultado prático são duas vitórias (a última sobre o Serra Macaense) em dois jogos e uma campanha com 100% de aproveitamento na Taça Santos Dumont que surpreende a muitos.

O goleiro Patrick, emprestado pelo Americano, é peça-chave nesta boa largada na Segundona. Passando em branco, o arqueiro demonstra que não vem sentindo a falta de ritmo, já que não vinha atuando com frequência até chegar ao Roxinho.

- Acho que falta de ritmo é algo muito prejudicial a qualquer jogador, mas acho que para o goleiro é muito mais complicado. São situações que às vezes não acontecem com tanta frequência em treinos, mas já tive outras oportunidades de jogar a B1 pelo Americano, em 2017, quando joguei quase um turno inteiro e me saí muito bem - explica Patrick, que prossegue.

- Acho que com muito trabalho no dia a dia e concentração nas partidas, essa dificuldade fica de lado. Vim para o Campos para isso: ganhar experiência e ter mais sequência de jogos, ajudando o clube a conquistar seus objetivos.

Dedicação coletiva
Passar duas partidas sem levar gols rende, naturalmente, destaque ao goleiro, mas Patrick ressalta o lado coletivo do Campos como parte essencial do bom desempenho defensivo.

- Atribuo (o bom momento) ao trabalho desde que nos apresentamos no Campos. Sempre trabalhamos muito forte, tanto eu e os outros goleiros, com o nosso preparador Macula, além dos outros jogadores. A gente se dedica muito nos treinamentos para que nos jogos a gente consiga fazer o que o professor Souza pede. Nossa defesa começa muito forte com o trabalho de marcação dos atacantes lá na frente e no meio, o que acaba ajudando muito e sendo fundamental para nós lá de trás.

O Campos faz uma pausa na Segundona, já que folga na terceira rodada, e só volta aos gramados de forma oficial no próximo dia 15, quando receberá o Barra da Tijuca. A princípio o duelo está previsto para o Estádio Ângelo de Carvalho, que ainda não está liberado para receber público. Caso a situação não seja contornada, o Aryzão deve servir de casa ao Roxinho novamente.

Comentários