“Futebol amador é a essência do esporte macaense”, diz presidente da LMD

No último domingo, dia 28, foi encerrada a 100ª edição do Campeonato Macaense de Futebol Amador, quando foram conhecidos os grandes campeões das Séries A (Fúria) e B (Garra). Após os jogos finais, o presidente da Liga Macaense de Desportos (LMD), Wanderson Agostinho, em entrevista exclusiva à TV Esporte Press Brasil, fez um balanço das duas competições, que reuniram um total de 36 clubes (18 em cada divisão) e aproximadamente 1.000 atletas.

– É um desafio muito grande para a Liga fazer um campeonato desse nível. A gente procura se empenhar ao máximo e fica satisfeito em saber que temos conseguido alcançar os objetivos. O futebol amador é a essência do esporte macaense, é a raiz do nosso povo – afirma.

Em tom de desabafo, Wandinho lamentou a falta de apoio do poder público municipal com o futebol amador.

– Nós conseguimos fazer, no ano do centenário do campeonato, uma grande integração entre as comunidades de Macaé. Fizemos isso sem onerar um centavo do erário público. Tudo aqui foi feito por pedreiros, ajudantes de pedreiro, presidentes de clubes. Não temos nenhum doutor aqui não. Temos sim a comunidade, o povão. E esse povão mostrou que, quando quer, é forte e capaz. Tanto que nenhum cidadão público da área de esportes do município apareceu para prestigiar a final da competição – disse.

O dirigente fez questão de ressaltar a importância do futebol amador, que além da integração entre as comunidades, promove a prática esportiva.

– Que isso fique de lição para muitas pessoas. O futebol amador é integração social. É o melhor caminho para colocar a comunidade para praticar uma atividade esportiva saudável. Aqui não tem facção. Só futebol. Fizemos um campeonato sem policiamento, ambulância. Uma festa sem nenhum transtorno. Porque somos educados, amigos um dos outros. As divergências, quando ocorrem, são debatidas entre nós mesmos, mas dentro de uma civilidade – frisou Wandinho.

Além disso, o presidente da LMD lembrou das campanhas de arrecadação de alimentos e doação de sangue, e agradeceu o apoio dos clubes e patrocinadores do campeonato.

– Fazer futebol amador, além de ser muito difícil, é para quem gosta. Ter ao meu lado 36 clubes ajudando a cumprir esse desafio foi muito importante para mim. Fazer a edição centenária desse campeonato, onde tivemos muitas dificuldades, não só para os clubes (que dependem da disponibilidade das pessoas), mas para a Liga também, é um desafio muito grande. São várias as pessoas que colaboraram, tanto os que doaram os prêmios, quanto os que compraram as rifas da ação entre amigos, sem contar os patrocinadores que nos ajudaram muito – destacou.

Segundo Wandinho, a expectativa é a de que a competição do próximo ano esteja definida até dezembro.

– O campeonato de 2020 estará pronto até dezembro. Todos as equipes participantes estarão organizadas com antecedência. Isso traz credibilidade à competição e, consequentemente, fica mais fácil para captarmos patrocinadores. Nesse ano sorteamos uma moto, televisão, bicicletas, carteira nacional de habilitação e curso de inglês. Além disso, vamos manter no regulamento as questões solidárias, com a arrecadação de alimentos e doação de sangue. São pequenas ações, mas estamos fazendo a nossa parte, que é ajudar a quem precisa – garantiu.

O presidente da Liga elogiou também o nível técnico apresentado pelas equipes, tanto na Série A quanto na Série B.

– Essa foi a terceira edição da Série B e a cada ano tem aumentado a qualidade. O Garra, por exemplo, surpreendeu muita gente. Não veio como favorito, mas fez o papel dele, vencendo os jogos decisivos e está de parabéns. Na Série A, tínhamos pelo menos oito equipes com condições de levar o título. Na final, houve muito equilíbrio. Quando todos pensavam que o Sinditob já era o campeão, o Fúria fez dois gols no fim e mudou tudo. Quero também elogiar o nível de atuação dos nossos árbitros, tão contestados, mas que foram muito bem ao longo das duas competições – concluiu Wandinho.
Presidente da LMD, Wandinho, e o fundador do portal Esporte Press Brasil, o jornalista Mário Luiz, Fundador do portal Esporte Press Brasil, o jornalista Mário Luiz parabenizou os clubes e a Liga pela organização do campeonato e ressaltou a enorme audiência tanto da TV quanto da rádio ao longo dos quatro meses do torneio.

– Estão todos de parabéns, os clubes e a Liga. O Esporte Press Brasil, que ainda está “nascendo”, acredita que o esporte da nossa cidade merece ser visto com muito mais carinho. E o Campeonato Amador de Macaé, que já é o maior do interior do Rio, não poderia ficar sem essa visibilidade. Tivemos uma grande audiência, especialmente no Norte e Nordeste do país. Com muito esforço e profissionalismo da nossa equipe, queremos levar informação de qualidade às pessoas – ressaltou.

Fonte: Esporte Press Brasil

Comentários