Pan 2019, faltam 13 dias: Brasil terá 48 atletas no Atletismo em Lima

O pedido de revisão feito pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para os organizadores dos Jogos Pan-Americanos de Lima, Peru, foi aceito quase integralmente e quatro atletas retornaram ao Time Brasil. Os atletas reconvocados são July Ferreira da Silva, dos 1.500 m, Valdileia Martins e Fernando Carvalho Ferreira, do salto em altura, e Moacir Zimmermann, dos 20 Km marcha atlética.

Thiago Júlio Moura, do salto em altura, ficou fora da equipe, que sofreu outra modificação. O velocista Erik Felipe Cardoso, convocado para integrar o 4×100 m foi cortado. O Comitê Organizador dos Jogos (CO Lima 2019) informou que apenas dois atletas podem ser inscritos exclusivamente no revezamento sem estar em provas individuais. Mas Erik, campeão brasileiro e sul-americano na categoria sub-20, vai ao Pan-Americano Juvenil, em San José, na Costa Rica, de 19 a 21 de julho. Ele está no revezamento da Universíade de Nápoles, na Itália.

A CBAt havia chamado 51 representantes, no dia 19 de junho. Mas recebeu em 25 de junho, por meio do Comitê Olímpico do Brasil (COB), comunicado do CO Lima 2019, com a lista de atletas elegíveis, dentro da cota de cada prova e com índice de participação. Alguns atletas não estavam na lista, que apesar de ter sido enviada pelo CO Lima, foi elaborada pela Associação Pan-Americana de Atletismo (APA).

A CBAt solicitou revisão da lista na APA e agora no total o atletismo terá 48 atletas no Time Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. O lançador do martelo Wagner Domingos, o Montanha, pediu dispensa por lesão.

A maratona será disputada dia 27/7, no primeiro dia de competições, mas depois o atletismo será realizado entre 6 e 11 de agosto. A delegação é formada por 24 homens e 24 mulheres. Para o Atletismo o Pan é uma competição muito importante, mas também preparatória para o Mundial de Doha, no Catar, de 27 de setembro a 6 de outubro.

O grande objetivo da equipe em Lima é quebrar o número de conquistas de medalhas de Guadalajara 2011, no México, quando o atletismo conseguiu a melhor campanha da história, com 23 pódios (10 de ouro, 6 de prata e 7 de bronze). Em 17 edições do evento, iniciado em Buenos Aires 1951, o Brasil soma 173 medalhas (58 de ouro, 50 de prata e 65 de bronze).

E para buscar um grande desempenho a Seleção contará com um grupo forte de atletas. Um exemplo disso é que os quatro titulares campeões do 4×100 m do Mundial de Revezamentos de Yokohama, em maio, no Japão, foram chamados: Paulo André de Oliveira, Rodrigo Nascimento, Derick Souza e Jorge Henrique Vides.

Fazem parte da equipe também o campeão olímpico do salto com vara, Thiago Braz, o ganhador da medalha de bronze nos 20 km marcha atlética no Mundial de Londres 2017, Caio Bonfim, o campeão do arremesso do peso da Copa Continental em Ostrava 2017, Darlan Romani, que bateu o recorde sul-americano na Liga Diamante de Stanford com 22,58 m, Andressa de Morais, a terceira colocada no Ranking Mundial de 2018 do salto triplo, Nubia Soares, e campeã do Circuito Mundial da Marcha de 2018, Erica de Sena.

Comentários