Presidente da LMD comemora o sucesso do Futebol Amador

Uma semana após o término do Campeonato de Futebol Amador 2019, que resultou nos títulos ao Fúria e ao Garra, pela Série A e B, respectivamente, o presidente da Liga Macaense de Desportos (LMD), Wanderson Agostinho, falou sobre os desafios que foi fazer essa competição, ainda mais com o peso que essa temporada tinha, pois celebrou o seu centenário.

“Não tenho como expressar o tamanho da nossa satisfação em ter feito essa competição. Sabíamos que era um desafio muito grande. Fazer um torneio desse nível, no ano do centenário do futebol amador macaense, sem onerar um centavo do dinheiro público e sem apoio nenhum político, conseguindo fazer uma festa com 36 equipes de vários bairros da nossa cidade, foi um desafio muito grande para gente. Fica aí agora o legado desse trabalho que a gente fez, que é os clubes estarem preparados para participar de qualquer evento do nosso país”, diz ele, ressaltando que tudo só foi possível graças a uma corrente envolvendo várias pessoas. “A Liga e os clubes se uniram para fazer essa competição. Essa união foi tão importante porque conseguimos fazer algo muito organizado, competitivo e, acima de tudo, solidária”, completa.

O centenário, sem dúvidas, foi marcado por surpresas e pela solidariedade dentro e fora de campo. “Fizemos a campanha de arrecadação e doação de alimentos e de roupas, além da doação de sangue. Para nós foi uma satisfação muito grande. Fechamos com chave de ouro. O público compareceu ao estádio, prestigiou. Tivemos uma integração social muito grande, mostrando que a o futebol amador é uma grande ferramenta para que a gente possa unir as comunidades. Ali não temos facções, mas sim equipes de futebol. Não tem violência. Fizemos a competição sem a presença da polícia e foi tudo de forma muito ordeira. Acho que ficou para a história essa temporada”, comemora.

Wanderson lamentou a falta de apoio do poder público, algo que vem sendo cobrado há muito tempo. “Não existe uma política pública para o esporte amador no nosso município. Nós vemos aí as praças públicas, o Ginásio Poliesportivo, o Parque da Cidade, o Estádio Cláudio Moacyr sendo deteriorados. A gente não tem nenhum projeto para incentivar o futebol ou qualquer outro tipo de esporte amador no município. Isso nos dói muito. Mas acredito que, com o tempo, a partir do momento em que a gente vai fazendo eventos como este, as coisas vão começando a mudar. As pessoas começam a enxergar como é uma ferramenta barata para o poder público para que possamos atingir objetivos que cheguem ao cidadão macaense. Não esses eventos que eles fazem que não chegam à população, pois são paliativos para justificar um gasto e não com o objetivo de desenvolvimento de algo”, desabafa.

Já focando nas próximas competições, e até mesmo visando a temporada 2020 do Campeonato Amador, Wanderson aproveita para ressaltar todos que tornaram tudo isso possível. “Só tenho a agradecer a todos os envolvidos, que me ajudaram. Os colaboradores da Liga, os clubes, as pessoas que compareceram e fizeram as doações de alimentos, os atletas que doaram sangue e a imprensa que nos deu a visibilidade. Muito obrigado”, finalizou.

O Campeonato de Futebol Amador, considerado a maior competição da região, é promovido pela Liga Macaense de Desportos (LMD), que foi fundada em 30 de setembro de 1942.

A instituição é responsável pela regulamentação do Campeonato Macaense de Futebol de diversas categorias. Para acompanhar as novidades, o interessado pode acessar a página nas redes sociais: https://www.facebook.com/LMDMACAE.

Comentários