Sampaio nega acusações do Cesso e indica que sofreu tentativa espionagem


O Sampaio Corrêa respondeu a nota do Bonsucesso, em que o clube alegava invasão de vestiário, ameaças e até apedrejamento do seu ônibus, após a partida entre as equipes no Lourival Gomes, vencida pelo Cesso por 1 a 0. Na versão do Galinho, a publicação do time da Leopoldina é considerada fantasiosa e o clube chamou Renato Benatta - alvo das ditas tentativas de agressão pelo lado do Cesso - de antiético e sugeriu uma tentativa de espionagem vinda do adversário.

Estas afirmações também vieram através de uma nota divulgada no começo desta segunda (12). Nela o Galinho alegou que a publicação do rival "beira a insanidade", além de revelar que Renato Benatta trabalhou durante toda a semana no Sampaio Corrêa e somente no sábado (10) à noite deixou um grupo de conversas do clube e no dia seguinte, data partida, apareceu trabalhando para o Bonsucesso. 

Após a partida, o Cesso, através de suas redes sociais, afirmou que o atacante Rômulo foi o autor das tentativas de agressão ao analista de desempenho. Ele teria invadido o vestiário do time visitante, tentado agredir Renato Benatta e também teria apedrejado o ônibus da deleção rubro-anil. O analista de desempenho só saiu do vestiário com a ajuda da PM. O fato foi prontamente negado pelo Sampaio Corrêa.

Confira na íntegra a nota enviada pelo Sampaio Corrêa em resposta à publicada pelo Bonsucesso.

"A partida entre Sampaio Corrêa e Bonsucesso realizada neste domingo (11), pela 2ª rodada da Taça Santos Dumont, no estádio Lourival Gomes de Almeida, transcorreu dentro da normalidade como sempre aconteceu desde a fundação do nosso clube.

Negamos e repudiamos veementemente a fantasiosa versão criada pelo Bonsucesso para mascarar uma situação vexatória a que o clube e o citado funcionário se dignaram a realizar, principalmente com relação nas referências ao nosso atleta, Rômulo Gomes.

O referido atleta em momento nenhum invadiu o vestiário visitante, que estava destinado ao Bonsucesso, e nem depredou o ônibus da equipe adversária. Lamentamos profundamente a invenção dos fatos na Nota Oficial do Bonsucesso divulgada na imprensa, que sem compromisso nenhum com a verdade, atribuem ao atleta Rômulo a função de presidente do Sampaio Corrêa Futebol e Esporte, algo que nunca ocorreu.

O que o Bonsucesso procura esconder através de uma nota que beira a insanidade, é que o senhor Renato Benatta (que eles tentam passar como vítima) até sábado à noite (10/08/2019), véspera da partida, trabalhava como analista de desempenho para o Sampaio Corrêa, e ao mesmo tempo, de forma sorrateira e clandestina, diga-se de passagem, para o Bonsucesso de forma antiética e antiprofissional.  O fato nos leva a concluir que o mesmo estava infiltrado pelo Bonsucesso dentro do nosso CT durante toda a semana. Vale ressaltar que o mesmo saiu do grupo do clube no WhatsApp somente às 21h05 do sábado (10/08), depois de ter conhecimento da escalação e de todo esquema tático do Sampaio Corrêa, como prova o print do grupo do WhatsApp em anexo.

Quando questionado pela direção do Sampaio Corrêa, primeiro negou que estivesse trabalhando para o rival. Entretanto, depois de sair dos grupos, pasmem, já apareceu trabalhando para o Bonsucesso na partida deste domingo. Situação antiética e antiprofissional desse senhor que detinha informações importantes do nosso time e fatalmente as levou para o adversário.

Por fim esclarecemos que essa situação só foi descoberta justamente através de uma publicação do site FutRio, onde ele aparece na fotografia ao lado de outros profissionais do Bonsucesso. É dessa forma que o Bonsucesso diz prezar pelo Fair Play no futebol? Não! Isso se chama jogo sujo.

Queremos ainda reiterar que repudiamos toda e qualquer forma de agressão, assim como também repudiamos o jogo sujo no futebol ou em qualquer desporto.

O Sampaio Corrêa anuncia ainda que tomará todas as medidas legais e necessárias para que a verdade prevaleça.

A direção".

Comentários