Atleta macaense retorna da Tailândia repleto de novidades

O atleta macaense Hildemberg Lima, Tetra Campeão Brasileiro e Vice-Campeão Mundial de Muay Thai retornou outro dia da Tailândia, onde foi enfrentar uma sucessão de lutas profissionais, no sentido de evoluir em seus conhecimentos técnicos, táticos e físicos, enriquecendo o esporte carioca. Neste sentido, aos 18 anos de idade, o atleta deslancha em sua carreira internacional de sucesso, contando com a força do seu Mestre Davi Andrade, da equipe macaense Qualter General Muay Thai.

O jovem atleta faz um balanço das atividades na capital tailandesa de Bankok, recebendo ensinamentos do seu treinador Kru Don, e contando com uma equipe de profissionais em treinos acelerados e muitas novidades técnicas.

“Essa temporada na Tailândia não foi facil, mas sem dúvida foi uma das temporadas que mais aprendi sobre muayThai. Foram três meses de muito aprendizado, onde conheci e convivi com pessoas incríveis; fiz muitos amigos e contatos internacionais, e revi velhos amigos da Thailândia e pude passar um tempo com cada um deles”, declarou o atleta acrescentando que na sua última semana aprendeu um pouco mais sobre ser treinador no curso que fez lá, onde, por duas vezes, ficou como corner no lumpinne (o maior estádio de muaythai da Tailandia), o que lhe acrescentou muito como professor e também como atleta.

Hildemberg conta ainda que fez uma luta em Pataya no sul da Tailândia, onde obteve o empate e mesmo achando o resultado injusto, essa temporada estava um pouco ruim de lutas, mas em compensação conquistou muito aprendizado em lutar na categoria de cima contra um tailandês chamado Wanchai Lukbunmee.

Próximos desafios

O atleta revela os seus desafios para 2020, destacando que para este ano ainda ele está buscando fechar mais outras duas lutas fora do país, mas caso apareça um evento de expressão em algum estádio do Brasil ou alguma federação internacional, sem dúvidas, estará participando.

Para o próximo ano, Hildemberg pretende fazer duas lutas internacionais e conquistar mais titulos, uma nos Est ados Unidos e outra na França. “Estou conversando com o promotor da luta na França, que é um amigo que conheci na Tailândia”, conta o atleta, informando que a luta nos Estados Unidos está confirmada

Novidade já

A grande novidade do momento anunciada pelo atleta Hildemberg é o Seminário Técnico sobre Muaythai, que ele vai ministrar no próximo dia 15 de setembro. O curso acontecerá na Academia Renovação Fight Team, destinada a atletas competidores ou não competidores, a partir de 12 anos. Na oportunidade, Hildemberg vai estar trabalhando a parte da cultura tailandesa e como o muay Thai é visto na Tailândia, além de ensinar técnicas de projeção, controle do adversário, um pouco de arbitragem, e o trabalho com os aparadores de chute.

Os interessados podem entrar em contato com o treinador Amadeu, através do telefone (22) 99944-5992.

Agradecimentos

O atleta faz questão de deixar registrado os seus agradecimentos a Casavolt, Sthelpharma, Pubstyle, Kromac, Atlântica Imóveis, Pizzaria California, Dr. Mitraud, Aerocross, ao seu treinador Davi Andrade, a sua namorada e sua família, que muito o ajudaram enquanto esteve na Tailândia.

Hildemberg Lima

Nascido em Natal (RN), mas morando em Macaé há nove anos, Hildemberg conquistou o título máximo do Muay Thai nos anos de 2013, 2015, 2016 e 1017. O Tetra Campeonato Brasileiro de Muay Thai aconteceu em Pouso Alegre (MG), onde a emoção da vitória tomou conta do jovem atleta e de todos que o acompanharam nesta viagem. Ele enfrentou três lutas da categoria Sub-17 até 60 quilos, e lutou na final contra o campeão mineiro, Julio, numa disputa emocionante.

Em 2016, em decorrência de uma letra trocada no seu nome no bilhete do avião, o atleta foi impedido de embarcar para a Tailândia, onde aconteceu o Mundial.

Pertecendo a uma família de atletas, Hildemberg conta que o irmão Lindemberg já treinava Muay Thai com o Mestre Davi e foi participar de um campeonato realizado no Colégio Barroco Lopes, no início dos anos 2010. Lá houve um sorteio de uma bicicleta e ele ganhou. No momento de entregar o prêmio, o Mestre o convidou para treinar. Logo no início, com seis meses de treinos e 11 anos de idade, o menino revelou seu talento e já estreou em um torneio em Nova Friburgo nocauteando o adversário e trazendo medalhas. “Desde a primeira luta eu vi que ele levava jeito e passei a incentivá-lo a se dedicar cada vez mais ao esporte”, disse o Mestre Davi.

Comentários