Flu e Santos empatam em jogo de gol contra, golaço, expulsões e bate-boca

Baixinho Soteldo fez um golaço pelo Santos na partida contra o Fluminense, hoje (26), no Maracanã - Thiago Ribeiro/AGIF
A partida entre Fluminense e Santos, hoje (26), no Maracanã, foi cercada de tensão. Com direito a gol contra de Lucas Veríssimo, golaço de Soteldo, expulsões de Digão, Frazan e Marinho, e uma forte discussão entre Ganso e o técnico Oswaldo de Oliveira, as equipes empataram em 1 a 1 pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Tricolor saiu da zona de rebaixamento pelos critérios de desempate. Já o Alvinegro chegou aos quatro jogos sem vitória e se distanciou ainda mais do líder Flamengo.

Na próxima rodada o Fluminense enfrenta o Grêmio, em casa, e o Santos recebe o CSA.

Sobrou tensão, faltou técnica
A partida entre Fluminense e Santos teve de tudo, menos um futebol de boa qualidade. Se sobrou tensão, discussões e bordoadas, faltou técnica. O Santos dominou o primeiro tempo diante de um Tricolor perdido. Após o empate, o jogo se equilibrou, mas teve poucos lances de emoção. O volante Allan, no fim, perdeu uma grande oportunidade para o Fluminense após contra-ataque fulminante.

Forte bate-boca entre Ganso e Oswaldo 
Em situação complicada no Campeonato Brasileiro, o clima no Fluminense ficou ainda mais pesado durante o duelo com o Santos, na noite de hoje (26), no Maracanã. No decorrer do segundo tempo do jogo, o meia Ganso e o técnico Oswaldo de Oliveira trocaram ofensas à beira do gramado e tiveram de ser contidos por membros da comissão técnica tricolor.

Aos 18 minutos da etapa final, quando o placar em 1 a 1, Oswaldo substituiu Ganso por Danielzinho. Ao sair do gramado, o camisa 10 chamou o treinador de "burro", que virou na direção do jogador e respondeu, o chamando de "vagabundo".

Os dois se encararam e rapidamente alguns profissionais do Fluminense que estavam no banco de reservas foram acalmar a situação. Ganso se dirigiu ao banco se mostrando claramente contrariado, enquanto Oswaldo voltou a dar instruções ao time.

Santos perde dois gols na cara
Derlis González, aos 10 do primeiro tempo, e Felipe Jonathan, aos 13, perderam dois gols na cara para o Santos. Muriel fez grandes defesas nos dois lances.

Soteldo faz golaço
Aos 39 minutos do primeiro tempo, Soteldo recebeu uma bola na esquerda da área, passou entre Nino e Gilberto e chutou no canto direito de Muriel. Um golaço para abrir o placar no Maracanã!

Veríssimo faz gol contra
O Santos dominava a partida quando Nenê fez um cruzamento despretensioso da esquerda e, no meio da trajetória, Lucas Veríssimo enfiou a cabeça. A bola enganou o goleiro Everson e morreu no fundo da rede. Era o empate do Tricolor.

Muriel faz milagres e Soteldo "bagunça"
O goleiro Muriel foi o destaque de um Tricolor pouco criativo no Maracanã. No primeiro tempo, salvou a lavoura com duas defesas à queima-roupa. Já o baixinho Soteldo, pelo Santos, fez um golaço e infernizou a zaga do Fluminense.

Digão acerta rosto de Marinho e é expulso
Aos 26 do segundo tempo, Digão e Marinho caíram em dividida na lateral e o zagueiro do Fluminense acertou o pé do atacante santista. Após consulta ao VAR, o defensor tricolor foi expulso.

Yony erra tudo e nem volta do vestiário
Nem mesmo o gol contra de Lucas Veríssimo - que fez bom primeiro tempo - tirou de Yony o fardo de ser o pior em campo na partida nada inspirada da noite no Maracanã. O colombiano errou tudo o que tentou e nem sequer voltou do intervalo, substituído por Wellington Nem.

Poucos, mas empenhados
O público no Maracanã para Fluminense foi baixo. Com a situação ruim do Tricolor na tabela, pouco mais de 11 mil pessoas foram ao estádio no dia chuvoso no Rio de Janeiro. Mas pareceram se multiplicar. Além dos cânticos de apoio à equipe durante quase todo o jogo, os torcedores também protestaram muito contra o técnico Oswaldo de Oliveira, pedindo sua saída do comando do time. Ex-treinador do Flu, Cuca foi lembrado nas arquibancadas, com pedidos de volta e tendo entoada sua música de 2009, quando salvou o Tricolor do rebaixamento.

Sampaoli suspenso
O Santos não pôde contar com seu treinador Jorge Sampaoli à beira do campo na partida de hoje. O técnico argentino cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Ele acompanhou o duelo de uma das cabines de transmissão do Maracanã e demonstrou a mesma inquietude de sempre.

Vaiados já antes do jogo
O técnico Oswaldo de Oliveira, o lateral direito Gilberto e o zagueiro Digão foram vaiados antes mesmo de a bola rolar. Os protestos começaram ainda quando seus nomes foram divulgados no telão do Maracanã.

FLUMINENSE 1 X 1 SANTOS

Data: 26 de setembro de 2019 (quinta-feira)
Horário: 20h (de Brasília)
Local: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Guilherme Dias Camilo (MG)
VAR: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões amarelos: Allan, Yuri Lima (FLU); Marinho (SAN)
Cartões vermelhos: Digão e Frazan (FLU); Alison, Pituca e Marinho (SAN)
Gols: Soteldo, aos 39 minutos do primeiro tempo (SAN); Lucas Veríssimo (contra), aos 47 minutos do primeiro tempo (FLU)

Fluminense: Muriel, Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri, Allan, Ganso (Danielzinho) e Nenê (Frazan); Yony González (Wellington Nem) e João Pedro. Técnico: Oswaldo de Oliveira

Santos: Everson; Lucas Veríssimo, Aguilar (Victor Ferraz) e Gustavo Henrique; Alison, Diego Pituca, Felipe Jonathan e Derlis González (Carlos Sanchez); Eduardo Sasha, Uribe (Marinho) e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Comentários