Guia da Série C 2019: 15 clubes lutam por duas vagas de acesso (FutRio)


Demorou, mas chegou a hora. Começa no próximo domingo (6) a fase principal da edição de 2019 da Série C do Campeonato Carioca, a quarta divisão do Rio de Janeiro. Após quatro times se enfrentarem na Seletiva e dois avançarem - Paraíba do Sul e Arturzinho -, chegou a hora da bola rolar para valer com 15 participantes lutando por duas vagas de acesso na Terceirona do próximo ano. O excelente Guia FutRio apresenta o perfil dos postulantes à glória.


Como de costume, o período pré-Quartona foi marcado pelas dificuldades estruturais de diversos clubes. A competição foi adiada por duas vezes em virtude da falta de estádios liberados para público - nesta temporada, só serão permitidas praças esportivas que estejam aptas aos torcedores. Sendo assim, nada de portões fechados em 2019.

Último escalão do futebol estadual, a Série C é também a divisão mais democrática do Rio de Janeiro. Por ela desfilarão camisas tradicionais como as de Campo Grande, Ceres, Paduano e São Cristóvão. Mas também há espaço para agremiações que ainda engatinham no profissionalismo, casos de Ação, Atlético Carioca, Brasileirinho e CAAC Brasil.

image

Grupo A: Ação, Arturzinho, Búzios, EC Resende e Tomazinho
Grupo B: CAAC Brasil, Campo Grande, Ceres, Paduano e São Cristóvão
Grupo C: Atlético Carioca, Brasileirinho, Paraíba do Sul, São José e Teresópolis

As equipes se enfrentarão dentro de seus grupos em dois turnos. Líder e vice-líder de cada chave se classificam para as quartas de final, além dos dois melhores terceiros colocados. A partir daí, adota-se o sistema de mata-mata, com partidas de ida e volta até que sejam conhecidos os finalistas, que consequentemente faturam as duas vagas de acesso. Nas eliminatórias, empate na soma dos resultados leva aos pênaltis.

image
Fundação: 26/08/2008
Melhor campanha: 11º lugar (2018)
Posição em 2018: 11º lugar

Análise: Pelo segundo ano como profissional, o Ação chega à Série C pensando alto e querendo ser um dos postulantes ao acesso. O clube vem treinando desde de janeiro, inclusive realizando uma parceria com o Marítimo, de Portugal, onde formou o grupo do time lusitano para disputar a Copa Rubro-Verde, terminando com o vice-campeonato, perdendo a final para a Portuguesa.

Destaque - DE OLIVEIRA: Ponto de experiência da equipe, o zagueiro de 35 anos tem um longo currículo no Rio de Janeiro, onde atuou por Audax, Ceres, Duquecaxiense, Itaboraí Profute e São Cristóvão. É remanescente do grupo montado no ano passado e possui plena confiança interna.

Fique de olho - GUTINHO: Tendo a primeira chance em uma equipe profissional, o atacante de 20 anos se destacou muito nos jogos-treino feitos pela equipe, mostrando precisão nas finalizações. Inclusive despertou interesse de clubes que enfrentaram o Ação na pré-temporada para a Série C, sem que fosse liberado.

Técnico - LÚCIO DIOGO: Ex-jogador com passagem pelo Vasco, Lúcio Diogo se destacou em um trabalho no sub-17 do Audax. Muito didático, o treinador mostra grande potencial para ajudar o Ação na competição. Trabalhou também nas categorias de base de Bonsucesso, Olaria e Vasco.


image

Fundação: 15/03/2000
Melhor campanha: 21ª colocação (terceira divisão, 2012)
Posição em 2018: 17º

Análise: O clube já quebrou o gelo e tirou o frio da barriga da estreia. O Arturzinho disputou a Seletiva e passou um grande sufoco, pois só foi conseguir a classificação na última rodada, onde teve que escutar no rádio o fim do jogo do Itaperuna, que não poderia vencer o Paraíba do Sul. Com a derrota da Águia do Noroeste Fluminense, o Arturzinho carimbou o passaporte.

Destaque - MIGUEL: Jogos mais difíceis virão, mas Miguel já mostrou para os zagueiros adversários seu faro de gols. Em seis duelos na Seletiva, o centroavante marcou oito vezes, quatro delas na última rodada, quando o Arturzinho conseguiu a classificação. Com boa vantagem na corrida pela artilharia, quer confirmar o posto de goleador máximo da competição.

Fique de olho - MATHEUS: Atacante de velocidade, mostrou-se um dos líderes da equipe na Seletiva. Rápido e habilidoso, foi um dos grandes garçons de Miguel durante a fase preliminar. Com apenas 20 anos, aparece com potencial para ser um dos destaques do Arturzinho na etapa principal da Quartona.

Técnico - ARTURZINHO: Um dos maiores ídolos do Bangu, com passagens de destaque por tantos clubes cariocas, o treinador empresta seu nome ao clube que fundou há 19 anos. O currículo, sem dúvida, é disparado o melhor do campeonato, até porque muitos técnicos estão começando as caminhadas no futebol, enquanto Arturzinho tem uma carreira vitoriosa e consolidada, com um título Brasileiro da Série C e dois da Copa do Nordeste. Também ganhou uma Segundona do Rio, pelo America, em 2015.

image

Fundação: 21/12/2012
Melhor campanha: 14° (2018)
Posição em 2018: 14°

Análise: Com visão de mercado parecida com a de 2018, o Atlético abriu um pouco mais o leque e fez contratações pontuais para esta temporada. O presidente Maicon Vilela resolveu fechar com atletas profissionais e não montar uma equipe somente com jogadores descobertos em peneiras. O sonho de classificação é grande para o mandatário alvinegro que, mais uma vez, vai apostar em um medalhão para a Série C: o uruguaio Acosta.

Destaque: ACOSTA - O atacante uruguaio de 42 anos é a grande aposta do clube para esta temporada e tem a missão de comandar o ataque atleticano nesta edição de Série C.. O jogador chega com ritmo de jogo e pronto para a competição. Ocupará o lugar de Túlio Maravilha, que em 2018 não anotou nenhum gol com a camisa alvinegra, mas foi estrela no marketing.

Fique de olho: Herick - Atleta de 23 anos, canhoto e que tem como destaque o drible curto. Por conta da juventude, tem tudo para ganhar chances na equipe, já que a Série C é sub-23 (com exceção de cinco nomes acima da idade). Bastante elogiado pelo treinador, pode jogar como meia ou lateral-esquerdo.

Técnico: André Horta - Chegou à equipe no início do trabalho de captação de atletas. Participou de todas as peneiras e contratações pontuais feitas pelo Atlético. Assume o time alvinegro com aval da diretoria e total liberdade de escolhas, sonhando levar o clube de São Gonçalo para um ponto mais alto na competição.

image

Fundação: 12/07/2007
Melhor campanha: 8º lugar (2018)
Posição em 2018: 8º lugar

Análise: Depois de estrear profissionalmente em 2018, o time que tem o ambicioso projeto de chegar ao Mundial de Clubes em 10 anos, está mais maduro para a Quartona desta temporada. O clube mesclou a base já formada com atletas experientes na competição, oriundos de times da região Noroeste do Rio de Janeiro. Não são nomes conhecidos, mas garantem garra em busca de um lugar ao sol. Vale ressaltar que o Brasileirinho também mudou de sede. Deixou o bairro de Anchieta, na Zona Norte da capital, e a Rua Bariri, onde mandava os seus jogos, rumo ao município de Comendador Levy Gasparian, na divisa com o Estado de Minas Gerais.

Destaque: ROMARINHO - Um bom time que se preze passa também por um atacante de qualidade. E é isso que o Brasileirinho foi ao mercado buscar para esta temporada. Com passagens por Paduano e São José, Romarinho chegou ao clube com a missão de balançar as redes. Com 24 anos e bagagem na Quartona, tende a ser um ponto de experiência e referência no elenco. Velocidade e agilidade na criação das jogadas podem ser fatais para os adversários.

Fique de olho: MARCOS VINÍCIOS - Outro jogador com bagagem na Quartona, mesmo com apenas 22 anos. Já passou por Paraíba do Sul e São José. Zagueiro de imposição física e bom jogo aéreo, Marcos também pode atuar como volante, dando versatilidade ao elenco do Brasileirinho, que não é dos maiores, auxiliando na saída de bola.

Técnico: JORGE BUG - Assim como em relação aos jogadores, o Brasileirinho apostou em um técnico com histórico na Série C do Carioca. Bug, desde 2017, treinou times da competição. O primeiro foi o Paraíba do Sul e, na temporada passada, esteve à frente do São José. Com uma visão positiva do trabalho executado pelo Brasileirinho, terá a missão de comandar jovens atletas em busca do sonho do acesso ao terceiro nível estadual.

image

Fundação: 15/05/1971
Melhor campanha: 7º (terceira divisão, 2011 e 2015)
Posição em 2018: 16º

Análise: O Búzios vem de uma campanha na Série C pouco reluzente. Na temporada passada, foi eliminado na primeira fase da competição e venceu apenas uma partida em oito disputadas. Entretanto, este ano promete ser diferente. O time da Região dos Lagos se reforçou com inúmeras peças que vestiram a camisa do Campos recentemente: Lucas Martins, Gabriel Leite, Dioguinho, Lorran e Kenny.

Destaque: THURRAN - Velho conhecido no Norte Fluminense, o defensor de 27 anos irá se aventurar pela Quartona. Após iniciar o ano no Goytacaz, que, na época, disputava a Seletiva, retornou ao Campos, disputou a Série B1 e foi contratado pelo Búzios antes mesmo do fim da competição. Por onde passou, demonstrou vigor físico como uma das principais referências no miolo da zaga através do espírito de liderança.


Fique de olho: KENNY - Assim como o destaque da equipe, o atacante também possui raízes campistas. Com apenas 19 anos, ganhou proporção no Campos, clube que o revelou em 2018. Nesta temporada, terá a oportunidade de exibir os pontos fortes, como a velocidade e a letalidade frente ao arqueiro adversário.

Técnico: ALEX BAHIA - O comandante de 44 anos não destoa da relação com o time campista. Ele obteve destaque à frente das categorias sub-17 e sub-20 do Roxinho. Agora possui a responsabilidade de levar o Búzios ao tão sonhado acesso à Série B2 em 2020.

image

Fundação: 22/12/2009
Melhor campanha: 10º (em 2018)
Posição em 2018: 10º

Análise: No segundo ano de profissionalismo, o CAAC aposta na mesma receita da temporada anterior, quando fez a estreia nos gramados do Rio de Janeiro: fé na juventude. Grande parte do elenco foi mantida em mais uma tentativa do clube unir trabalho de viés social e esporte em alto rendimento. Integrante do Grupo B, encara logo de início rivais de enorme tradição. A princípio parece correr por fora na luta pela classificação.

Destaque: LÉO SANTOS - Num elenco onde a juventude é quase uma regra, a experiência do atacante de 30 anos pode fazer a diferença, principalmente nos jogos pesados que aguardam o CAAC logo na fase classificatória. A boa rodagem também servirá para blindar um elenco de pouco experiência no futebol profissional.

Fique de olho: JEFERSON MOREIRA - Goleiro titular em sete jogos pelo CAAC em 2018 e que chega calejado para uma nova Quartona. Apresentou bom potencial técnico na última edição da Série C e agora, aos 18 anos, está mais experimentado na missão de passar segurança no sistema defensivo.

Técnico: ILMAR DE ALMEIDA - Ex-jogador e treinador por formação, tem 50 anos. Contribuiu desde 2014 na agremiação, participando na evolução do amador ao profissionalismo. Também foi o técnico que conduziu o trabalho em 2018, no ano de estreia do CAAC na Quartona. Agora com maior bagagem, ganha nova chance de fazer o time decolar dentro de campo.

image

Fundação: 13/06/1940
Melhor campanha: 5º (primeira divisão, 1991)
Posição em 2018: 3º

Análise: A equipe já estreou na temporada e teve um balde de água fria, após ver a classificação na Copa Rio, conquistada dentro de campo, cair por conta da escalação irregular de jogadores. O fato fez a diretoria se movimentar e procurar algumas mudanças, não só de atenção às questões jurídicas, mas também do estádio Ítalo Del Cima, que passou por mudanças estruturais interessantes, mas a princípio não poderá ser utilizado por conta da falta de laudos técnicos. Em campo, novamente aposta em jogadores jovens, mas já com certa identificação com o clube, nesta jornada ainda mais complicada, já que pega adversários de camisa histórica no Rio de Janeiro na primeira fase.

Destaque: FÁBIO SACI - Com 37 anos de idade tem tudo para ser o grande líder de um time de jovens atletas que buscam reerguer o Campo Grande e também um espaço no futebol profissional. O currículo do atacante fala por si só: teve passagens por Bahia, Santa Cruz (PE), Náutico (PE), Bangu, America e mais recentemente Angra dos Reis. Liderança em campo, faro de gols e carisma são esperados do veterano atacante da equipe alvinegra.


Fique de olho: JEFFERSON - Atacante que pode cumprir algumas funções no comando ofensivo do time, podendo atuar nos dois lados do campo. Os números do atleta de 23 anos apontam um bom aproveitamento em termos de produtividade. Em dez jogos feitos com a camisa do Campo Grande, foram cinco gols anotados, deixando uma média de um tento a cada duas partidas. Neste ano, já balançou as redes, justamente durante a disputa da fatídica Copa Rio, que terminou para o clube nos tribunais.

Técnico: VILSON PORTO - Conhece o clube como ninguém. Há mais de uma década no Campo Grande, o treinador tem controle total do vestiário. Tenta repetir o sucesso que teve na reta final da Série C do último ano e também do desempenho, em partes, satisfatório - como o próprio classificou - da Copa Rio. Possui um estilo mais motivador, mexendo com o emocional do plantel. Portanto, a expectativa é de uma equipe que se entregue em campo.

image

Fundação: 10/07/1933
Melhor campanha: 2º (segunda divisão, 1997)
Posição em 2018: 7°

Análise: Com uma equipe jovem, o Ceres vai para mais uma edição de Série C correndo por fora na comparação com os elencos dos rivais mais tradicionais da competição. Com a mesma comissão técnica de 2018, a clube da Rua da Chita pretende alçar voos maiores do que na última temporada, na qual foi eliminado nas quartas de final, diante do Canto do Rio. 

Destaque: GEOVANE - Meia de criação, tem 23 anos e se destacou no Atlético Carioca, na última temporada, participando de todos os gols da equipe na competição, ofuscando o veterano Túlio Maravilha. Dono de ótima bola parada e com passe qualificado, terá a missão de municiar o trio de ataque alviceleste.


Fique de olho: RONALD - Atacante de 20 anos, é um dos bons nomes que surgiram na equipe este ano com desempenho exemplar nos jogos-treino. Jogador de velocidade, atua nas três posições do setor ofensivo montado por Valber Lessa.

Técnico: VALBER LESSA - Remanescente de 2018, Valber seguiu trabalhando a equipe com os novos jogadores que foram chegando no decorrer do ano. Disputou diversos jogos-treino e tem total apoio interno no clube. Com estilo sereno, conta com a parceria de Áureo, seu auxiliar, para tentar levar a garotada do Ceres ainda mais longe nesta edição da Quartona.

image

Fundação: 02/07/2003
Melhor campanha: 4° (terceira divisão, 2006)
Posição em 2018: 6º

Análise: Depois de retornar ao futebol profissional há duas temporadas, o EC Resende emplacou duas campanhas seguidas no sexto lugar da Quartona. Sendo que, em 2018, a eliminação foi traumática. Depois de vencer o primeiro jogo nas quartas de final contra o Campo Grande, por 2 a 0, fora de casa, o clube perdeu na volta por 3 a 0, tendo mando de campo. Para este ano, permanece sendo um dos que mais investe em estrutura na divisão, o que chamou até a atenção de experientes jogadores, que vão buscar o encaixe perfeito com os jovens valores que são captados nas categorias de base.

Destaque: WELLINGTON MONTEIRO - Campeão Mundial pelo Internacional (RS) em 2006, o volante de 41 anos nem pensa em se aposentar. Contratado a peso de ouro para ser a referência técnica da equipe, veste a quinta camisa no Rio de Janeiro. Antes, já havia defendido Audax Rio, Bangu, Fluminense e Vasco. Mesmo que o físico já não seja o de antes, Wellington será crucial não só no setor defensivo, mas também na armação de jogadas desde o início do campo de ataque.


Fique de olho: GABRYEL - Com passagens pelas categorias de base de Botafogo e Madureira, o goleiro se profissionalizou pelo Duque de Caxias, onde atuou na disputa a Série B1 do Campeonato Carioca em 2018. Atuações que o levaram ao Iraty (PR). Emprestado pelo clube paranaense, o jovem goleiro de 21 anos terá a Quartona para mostrar seu valor. Além da destacada altura, a experiência de ter disputado níveis estaduais superiores pode ser um diferencial.

Técnico: RICARDO OLIVEIRA - Treinador da leva dos novos nomes do cenário carioca. Com apenas 42 anos, já passou pela equipe sub-20 do Juventus, sub-17 do Belford Roxo e, na temporada passada, esteve no Juventus, na disputa da Série B2 do Carioca. Terá pela frente a missão de guiar o EC Resende ao acesso, quebrando a insistente marca do clube de bater na trave.

image

Fundação: 27/05/1927
Melhor campanha: 8º (segunda divisão, 1990)
Posição em 2018: 5º

Análise: Uma das equipes mais organizadas da divisão e que começa a caminhada em uma chave complicada. A organização extracampo é justamente um dos diferenciais numa disputa contra outros clubes tradicionais do grupo. A campanha da última Série C deu lições para o Trovão Azul, que deixou a competição com apenas uma derrota, justamente para o campeão Mageense. A situação adversa agregou maturidade e bagagem. Até por isso a procura foi por atletas que também tenham essas características, como Jessé, Preto, Gilsandro e Renan Silva.

Destaque: MAURÍCIO STRONDA - O homem-gol da equipe. Terminou o último ano com uma média superior a um tento anotado por jogo durante a Série C. Com técnica acima da média para a competição, tem tudo para ser o destaque não só do time de Pádua, mas também de toda Quartona. O ritmo de jogo pode ser outro diferencial, já que esteve no Mageense disputando a Série B2, onde também demonstrou faro artilheiro, fazendo três gols em cinco oportunidades.


Fique de olho: PRETO - O atacante, apesar da pouca idade, - 21 anos - é tido como um dos jogadores com boa bagagem por conta do currículo que possui. Passou por Itaperuna e Pérolas Negras e conviveu com cenários diferentes durante a disputa das divisões intermediárias do Estadual, o que dá a casca necessária para suportar a Série C. Com características distintas, pode entregar, em campo, outras funções fora a do comando ofensivo.

Técnico: BRUNO PEREIRA - O comandante vai para o terceiro ano seguido no clube, sendo o segundo como treinador efetivo. O fato dá controle maior sobre o elenco para a disputa da Série C do Campeonato Carioca. De acordo com o histórico de 2019, a promessa é de um time ofensivo e intenso, que segue a linha de comportamento do técnico à beira do gramado, sempre enérgico e exigente.

image

Fundação: 17/03/2005
Melhor campanha: 4º (terceira divisão, 2007)
Posição em 2018: não disputou

Análise: O Paraíba do Sul já possui uma equipe bem definida para a disputa da fase principal da Quartona. Campeão da Seletiva, o time é dotado de um elenco versátil com bons jogadores. Apesar de não ter disputado a competição em 2018, vem reformulado, com gás de sobra e embalado para a disputa da Série C.

Destaque: CADINHO - Artilheiro da fase preliminar com seis gols, o atacante promete repetir o feito na etapa principal da quarta divisão. Além do elevado poderio frente as redes, possui boa estatura e é referência no setor ofensivo da equipe do Sul Fluminense. Na temporada passada, vestiu as cores do São José e ainda acumula uma passagem pelo Juventus.


Fique de olho: MV - Ao lado de Cadinho, foi peça fundamental para o Paraíba do Sul no início da Quartona. O jovem atacante possui inúmeras virtudes, com destaque para velocidade e boa finalização. Ele já foi às redes em quatro oportunidades nesta temporada e busca superar esta média na fase principal.

Técnico: PIÁ - Por conta de um infarto sofrido há 15 dias, Merica deixou o comando do Paraíba do Sul após a Seletiva. Ele assume a posição de coordenador-técnico e abre espaço para Piá, recém-contratado pela diretoria. O treinador de 45 anos, que já atuou como meio-campista por diversos clubes brasileiros, aterrissa numa primeira oportunidade pelo futebol carioca. Seu mais recente trabalho foi no Batel de Guarapava, clube que disputa a segunda divisão do Campeonato Paranaense.

image

Fundação: 12/10/1898
Melhor campanha: campeão (primeira divisão, 1926)
Posição em 2018: 14º (Série B2)

Análise: Depois de um rebaixamento traumático em 2018 (o clube perdeu pontos no TJD-RJ pela escalação irregular de um atleta após escapar da queda em campo), o São Cristóvão se reorganizou. Com novos gestores e um aporte financeiro que possibilitou até mesmo a reforma do gramado da Rua Figueira de Melo, os cadetes chegam como uma das equipes de maior expectativa na competição.

Destaque: MAMUTE - Centroavante da equipe, como o apelido já demonstra, é conhecido pela força física e imposição no setor ofensivo. É um dos poucos jogadores acima dos 23 anos - está com 26. Na última temporada, defendeu as cores do Gonçalense durante a Série B1, mas atuou pouco. No São Cristóvão, deve receber mais oportunidades e ser a referência no ataque.

Fique de olho: KENNEDY - Jovem lateral-esquerdo criado na base do Fluminense. Tem apenas 20 anos, mas é rodado ao ponto de ter participado de treinamentos com a equipe principal do Ceará, que em 2018 já disputava a Série A do Campeonato Brasileiro. No clube nordestino, ganhou oportunidades nos times sub-20 e sub-23. Agora, terá primeira grande sequência.

Técnico: DIEGO BRANDÃO - Representante da nova geração de treinadores, Diego estava trabalhando no futebol dos Emirados Árabes Unidos, mais precisamente no Sharjah FC. É filho de Gaúcho, ex-técnico do Vasco e que comandou o Madureira na última Copa Rio. Aos 32 anos, tem a primeira grande chance à frente de um clube no estado.

image

Fundação: 04/02/2006
Melhor campanha: 11º (terceira divisão, 2012)
Posição em 2018: 13º

Análise: Mais um clube que vem de uma campanha decepcionante em 2018 e busca a volta por cima. A confiança parece ser elevada para fazer diferente em nova participação na Quartona. Provar valor será necessário logo na largada, já que se encontra no Grupo C, com adversários "badalados" como Atlético Carioca, Paraíba do Sul e Teresópolis, além do modesto Brasileirinho.

Destaque: KEVIN - Meia 24 anos, que tem no currículo passagem pelo Tigres entre 2015 e 2017. O fato curioso é que o atleta já viveu uma experiência nos cinemas, quando interpretou Pelé no filme europeu "Pelé - O Nascimento de uma Lenda", lançado há dois anos. Dentro de campo, a habilidade é a característica que mais chama atenção.

Fique de olho: PAULINHO - Lateral-direito de 21 anos que busca afirmação na carreira. Atuou nas categorias de base do Paraná Clube, o que pode ser um diferencial numa Quartona de poucos atletas mais experimentados. Além disso, teve passagem sem muito brilho pelo Campos, em 2018.

Técnico: PINGO - Técnico experiente que terá a missão de dar consistência a uma equipe que não apresentou força suficiente para brigar na parte de cima da tabela em 2018. Se conseguir implementar no elenco a boa rodagem que possui no meio do futebol, pode montar um time que venha a incomodar os favoritos da competição.

image

Fundação: 04/04/1915
Melhor campanha: 10º (segunda divisão, 2008)
Posição em 2018: 15º

Análise: Em processo de reconstrução há alguns anos após ficar afastado de competições profissionais, o Teresópolis segue em franca evolução. Após campanha mediana em 2018, mas sem sustos estruturais, o time desta vez investiu. A preparação começou ainda no primeiro semestre, e reforços de nome, como Vinicius, Ramon e Jonathan, foram contratados para buscar o acesso.

Destaque: RAMON - Teresopolitano e cria das categorias de base do clube, o zagueiro é um dos principais reforços de todo o Campeonato Carioca da Série C. Aos 36 anos e campeão da Copa Rio em 2018 pelo Americano, traz a experiência para o sistema defensivo que promete ser o pilar da equipe.

Fique de olho: VINICIUS - Artilheiro da pré-temporada, Vinicius é experiente nas divisões inferiores do futebol do Rio de Janeiro. Nas últimas três temporadas, defendeu o Mesquita, mas já atuou no próprio Teresópolis há cinco anos. Na preparação, fez muitos gols em amistosos e é a esperança de bola na rede.

Técnico: ARTHUR SANTOS - Figura conhecida dentro do Teresópolis, Arthur Santos esteve no clube em 2018, quando a diretoria optou por não ter um treinador fixo, fazendo uma espécie de comissão técnica conjunta chefiada pelo coordenador Marcus Dantas. Desta vez, é Arthur quem possui autonomia para substituições e treinamentos, sendo o responsável por conduzir de vez o time.

image

Fundação: 02/01/1930
Melhor campanha: 8º (segunda divisão, 1989)
Posição em 2018: 15º

Análise: Chega em 2019 com a missão de apagar a má impressão deixada no ano passado, quando figurou nas últimas colocações da classificação geral. Aposta em jovens atletas oriundos do futebol da Baixada Fluminense. Seguindo as diretrizes do técnico Álvaro Santos, deve apostar num jogo ofensivo e com base na qualidade técnica dos jogadores.

Destaque: DIEGO - Goleiro de 27 anos que possui boa rodagem em clubes de menor investimento do Rio de Janeiro, como Boavista, Artsul, São Cristóvão e Mesquita. Mas foi no São Gonçalo, em 2016, que viveu o ápice, sendo campeão da Série C (na época equivalente à terceira divisão) e faturando a Bola de Ouro da competição.

Fique de olho: ALERSON DIGANSO - Meio-campista de características ofensivas considerado um "achado", já que é avaliado com qualidade técnica acima da média para uma Série C. Criativo, busca jogadas individuais para quebrar as linhas defensivas. O clube vive a expectativa de obter não só retorno dentro de campo, mas também de concretizar uma futura negociação após a vitrine que a competição tende a oferecer.

Técnico: ÁLVARO SANTOS - Treinador jovem, que promete um estilo de jogo ofensivo. Diz se inspirar em técnicos como Cuca, Abel Braga, Muricy Ramalho e Zilla Cardoso, este último com o qual trabalhou diretamente. Possui bom conhecimento no futebol da Baixada Fluminense, já tendo dirigido, entre base e profissional, times como Miguel Couto, Nova Cidade e Heliópolis.

Fonte: FutRio

Comentários