João Carlos Ângelo deixa Goytacaz e direção promete pagar

O técnico João Carlos Ângelo deixou o comando do Goytacaz. Segundo o treinador, independente do resultado em campo, ele já tinha um acordo com a direção do clube para deixar o clube. Enquanto isso, o comando do Alvianil emitiu uma nota oficial pedindo 45 dias para por em dia os salários atrasados de jogadores e comissão técnica.

O time da rua do Gás chegou à semifinal geral da Série B1 do Campeonato Estadual e esteve a um confronto de conquistar o acesso, mas acabou derrotado duas vezes para o Friburguense (2 a 0, no Aryzão, e 1 a 0, em Friburgo) e ficou pelo caminho.

Em entrevista ao site Futrio, João disse que esse foi o trabalho mais difícil de sua carreira. Além dos atrasos de salário, o técnico citou a dificuldade por ter comandado anteriormente o rival Americano. 

“Eu não quero nem ser antiético porque não faz parte do meu lado profissional. Eu mesmo fiquei chateado com algumas coisas que aconteceram, até pelo fato da associação do treinador João Carlos com os três anos que trabalhou no Americano. Muita gente não entendeu isso. Sem dúvidas foi o trabalho mais difícil que eu fiz. Isso sem dúvidas nenhuma”, disse o treinador, que completou:

— Realmente foram desagradáveis algumas situações que passei. Não digo só a situação financeira, mas outras coisas que nem vale a gente comentar. Não sei exatamente quantos meses os atletas têm (em aberto), mas sei que eu tenho certeza que nem vou colocar minha parte financeira. Acredito nas pessoas e vi, da minha parte, pessoas que queriam ajudar o clube, o presidente (Dartagnan Fernandes) tentando, vi algumas pessoas tentando, outras nem tanto. O clube vive um conflito interno bem grande e acho que esse é o maior problema.

Em nota, a diretoria do Goytacaz afirmou que continua trabalhando para quitar as dívidas. “Não estamos fugindo das nossas obrigações, mas fazer a procura de novos investidores durante um campeonato tão forte é uma missão quase impossível e a intenção de toda a diretoria é cumprir com esta meta. Há jogadores que estão com o pagamento quase quitado mas que não cabe aqui falarmos e outros sim com os pagamentos bastante em aberto. Mas solicitamos à eles que nos dessem um prazo de 45 dias para que pudéssemos fazer os pagamentos em aberto e quitar com todos visto o fim do campeonato e sem a pressão diária do compromisso financeiro do próximo jogo. Mais uma vez reafirmo que não fugiremos de nossas obrigações”.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários