Técnico decepcionado com a torcida Alvianil

O técnico João Carlos Ângelo deixou o estádio Ary de Oliveira e Souza duplamente decepcionado no último sábado (28). Além da derrota por 2 a 0 do Goytacaz para o Friburguense, deixando seu time em situação muito complicada na briga pelo acesso à Série A do Campeonato Estadual, não gostou também dos xingamentos a ele proferidos por alguns torcedores no final da partida.

— Eu não pedi para ir embora depois do jogo por respeito aos atletas e a alguns diretores. Óbvio que sei que não é a torcida toda do Goytacaz. Mas, tem alguns mais exaltados. A gente sabe que o futebol é passional, e as pessoas encaram e olham o João Carlos como treinador do Americano (clube rival onde teve boas passagens). Agora, podem xingar, podem falar o que quiserem, mas não podem apagar o trabalho que foi feito. Independente dos problemas, que são muitos dentro do clube, é um trabalho feito com muita satisfação e, além de tudo, com um objetivo bem definido. Tanto é que a gente chegou numa fase final da competição dentro do clube com os problemas todos, que não são surpresa para ninguém — desabafou.

Em sua leitura do jogo de ida da semifinal da Série B1, João Carlos citou as chances desperdiçadas pelo Goyta durante os 90 minutos. Não foram muitas, mas as perigosas que não resultaram em gol fizeram falta.

— O adversário veio com uma postura mais defensiva, não criou nada e acabou por fazer dois gols: uma em uma bola parada e o outro em um contra-ataque, numa bola que nós perdemos no nosso campo defensivo. Em contrapartida, tivemos algumas oportunidades de gol e não conseguimos fazer. Tivemos bola na trave, aquela (defendida e cortada pelo zagueiro) no final do jogo, tivemos uma do Jairo... Infelizmente, a coisa não aconteceu. Faltou aquele capricho final e uma pontinha de sorte, uma tranquilidade maior na hora de finalizar. Mas, o que a gente vai fazer? Isso faz parte do futebol. A gente tem que trabalhar pensando no próximo jogo contra eles, quarta-feira, tentando reverter essa situação lá no campo deles — comentou.

O futuro do Goyta será definido amanhã, quando enfrentará novamente o Friburguense, às 15h, desta vez no estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo. Para conquistar o acesso, o Alvianil da rua do Gás precisará vencer por três ou mais gols de diferença, pois o adversário tem a vantagem de dois resultados proporcionais por ter sido campeão da Taça Corcovado. Apesar do cenário, João Carlos segue confiante.

— (É possível) da mesma maneira que eles vieram aqui e fizeram dois gols, que nós ganhamos o outro jogo (por 3 a 0, pela última rodada do segundo turno). Se fizer uma análise fria do jogo, eles fizeram um gol de falta e outro em um chute a gol num contra-ataque. As melhores oportunidades do jogo foram nossas. Então, nada mais do que natural que a gente acredite. É lógico que ficou mais difícil, eu não seria tolo de dizer que não está. O Friburguense também tem uma boa equipe. Nós vamos para lá conscientes da dificuldade, mas também de que temos potencial — enfatizou. 

Fonte: Folha da Manhã

Comentários