Botafogo frustra torcida, cai para o Cruzeiro e flerta com o Z4

Botafogo x Cruzeiro
De um lado, drama. O Botafogo não fez jus à torcida alvinegra, que alcançou o melhor público no Nilton Santos no ano, na noite desta quinta-feira, e amargou uma frustrante derrota por 2 a 0 para o Cruzeiro - ficando a apenas três pontos da zona de rebaixamento. Do outro lado, alívio. Com o resultado, a Raposa - que fechou o placar no último lance da partida - chega a 32 pontos, fica a um do Glorioso, e deixa o Z4. 

As duas equipes volta a campo no domingo, às 19h. O Botafogo visita o Santos, na Vila Belmiro, enquanto o Cruzeiro recebe o Bahia, no Mineirão

BATE E VOLTA
Os times começaram o duelo apostando nas bolas longas, com o Cruzeiro um pouco mais presente no campo de ataque. Logo aos três minutos, Marquinhos Gabriel saiu na cara do gol, mas parou na excelente recuperação do meio-xará Gabriel. O Botafogo respondeu em um bonito giro de Luiz Fernando, que mandou por cima da meta de Fábio. 

FESTA FRUSTRADA
Empurrado pelo bom público, o Alvinegro crescia no jogo e ameaçou em cruzamento de Diego Souza, que quase tomou a direção do gol. Mas não demorou para a Raposa chegar em poucos toques e conseguir escanteio. Aos 25, Thiago Neves bateu e o jovem Cacá subiu muito para marcar seu primeiro gol como profissional e abrir o placar a favor dos mineiros no Nilton Santos. 

PRESSÃO INFÉRTIL
Atrás no marcador, o Botafogo tomou as rédeas do confronto e encurralou o Cruzeiro no fim do primeiro tempo. Mas exalando tensão e mostrando um repertório muito curto, o Glorioso exagerou nas bolas alçadas e teve um aproveitamento baixíssimo pelo alto. 

INCÊNDIO ALVINEGRO
Na primeira metade da etapa final, só deu Botafogo. O time de General Severiano "alugou" o campo ofensivo e anulou o contra-golpe cruzeirense. Essa pressão, porém, continuou acompanhada de poucas oportunidades claras. A melhor chance foi em um míssil de longe de Marcinho, que tirou tinta da trave e levantou a torcida.


AFROUXOU
Com o passar dos minutos, o ritmo da partida despencou. Ainda assim, o Glorioso tentava o abafa. Com a bola parada, Marcinho soltou a bomba, Fábio bateu roupa e Gabriel por pouco não marcou no rebote. O Alvinegro chegou a 13 escanteios, tentou de tudo, mas não conseguiu o empate e flerta mais do que nunca com o Z4. No último lance da partida, com o Botafogo já desorganizado, Ederson recebeu na área, soltou a bomba e fechou o placar a favor dos mineiros. 

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 0 X 2 CRUZEIRO

Estádio: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-hora: 31 de outubro de 2019, às 21h30
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN) - Nota L!: 7,0 - Excelente arbitragem. Apitou com firmeza, acalmou os ânimos e teve ótimo julgamento. 
Assistentes: Jean Márcio dos Santos (RN) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE)
Árbitro de vídeo: Adriano Milczvski (PR)
Assistentes do VAR: Adriano de Assis Miranda (SP) e Flavio Gomes Barroca (RN)
Gramado: Bom
​Público e renda: 20.690 pagantes / 22.412 presentes / R$ 305.525,00
Cartões amarelos: Diego Souza (BOT); Thiago Neves, Fabrício Bruno e Dodô (CRU)
Cartão vermelho: não houve. 

Gols: Cacá 25'/1ºT (0-1), Éderson 51'/2ºT (0-2)

BOTAFOGO
Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Gabriel, Yuri; Bochecha (Vinicius Tanque, 33'/2ºT), João Paulo e Diego Souza; Luiz Fernando, Leo Valencia (Alex Santana, 20'/2ºT) e Victor Rangel (Igor Cássio, intervalo). Técnico: Alberto Valentim

CRUZEIRO 
Fábio; Orejuela, Fabricio Bruno, Cacá e Egídio; Henrique, Éderson; Marquinhos Gabriel (Dodô, 23'/2ºT), Thiago Neves, David (Sassá, 29'/2ºT); Fred (Ariel Cabral, 27'/2ºT). Técnico: Abel Braga

Comentários