Pular para o conteúdo principal

Anúncios

TJD abre inquérito e chama presidentes de America, Americano e árbitros do jogo entre America e Frizão


O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) convocou os presidentes do America, Sidney Seixas de Santana e do Americano, Carlos Abreu, para serem ouvidos no inquérito envolvendo o jogo da equipe contra o Friburguense. Também foram chamados o árbitro da partida, Philip George Bennett, os seus auxiliares, Thiago Gomes Magalhães e Thiago Rosa de Oliveira Esposito, e o quarto árbitro, Rogério Lucas dos Santos. A audiência ocorrerá no dia 2 de março, às 15 horas, na sede do TJD.

Entenda o caso
No dia 8/02/2020, o America empatou com o Friburguense, e após a partida afirma ter sido prejudicado por um gol supostamente irregular. Sentindo-se prejudicado, o clube protocolou um oficio contra a decisão da arbitragem da partida, e também com questionamentos a respeito da nomeação do presidente do Americano como Corregedor Geral da Arbitragem. Em nota divulgada no dia 9/02, o presidente do America, Sidney Seixas de Santana, classificou a atuação da arbitragem com vergonhosa:


- Uma sucessão de erros extremamente grosseiros de arbitragem por parte do árbitro e de seus auxiliares, tendo como consequência um resultado desta partida de hoje (08/02), injusto, indigno e que mancha fortemente a dignidade do espírito esportivo.

AMERICANO
O Americano, também emitiu nota, e no texto assinado por Carlos Abreu, presidente do Cano, contesta justamente a ausência de provas desta reclamação do time rubro, que alegou que os árbitros vinham cometendo erros "intencionais" a favor do Americano e que a Procuradoria não se manifestou a respeito dessas acusações.


Na época, o documento feito pelo Americano, destacava que além do clube perder um mando de campo por inversão, sem ter culpa, a diretoria teve prejuízos financeiros, por ter que arcar com um orçamento de despesas que considerava inesperadas. 

Outro argumento fica por conta do regulamento, que só prevê mudanças de mando de campo, por solicitação  da empresa que detém os direitos de transmissão, ou por casos de fortuitos ou de força maior - o que segundo o Cano, não é o caso, ferindo o Artigo 42 do Regulamento. 

Carlos Abreu tratou como “leviana e irresponsável” a nota oficial emitida pelo presidente do America, Sidney Seixas de Santana, no último domingo (09), um dia após o empate do clube carioca com o Friburguense e a goleada por 4 a 0 do Americano sobre o Nova Iguaçu, que colocou o Alvinegro campista na liderança do Grupo X. Na nota, o mandatário do America reclamou de “uma sucessão de erros extremamente grosseiros de arbitragem”, adjetivados como propositais, que teriam favorecido o Friburguense e, consequentemente, o Americano. Também foi mencionado por Sidney o fato de o presidente do Cano ter sido escolhido recentemente para ocupar a função de Corregedor Geral da Arbitragem.

— Necessário registrar que, a despeito de nomeado, nem sequer houve a investidura no cargo, eis que ainda não tomei posse para exercer a função — se defendeu Carlos Abreu. — As acusações gravíssimas penalizaram o Americano a ter que jogar fora de casa — pontuou o presidente alvinegro, mencionando desgaste físico dos atletas, custo extra com despesas da viagem e dificuldade para a torcida comparecer em grande número.

No ofício enviado à Ferj, Abreu solicitou apuração das acusações do presidente do America. 

Comentários