Pular para o conteúdo principal

Anúncios

CBF não acredita em volta do futebol no curto prazo

CBF tenta deixar escândalos para trás com reformulação da marca ...
O Flamengo quer retomar seus treinos. A Federação Paulista de Futebol marcou reunião dos clubes para o próximo dia 15. Alguns Estaduais querem retomar os jogos em maio. Ainda que essas manchetes encham nossos olhos de esperança de retomada da normalidade, a verdade é que a CBF (e a Fifa) não trabalha com esse cenário para o curto prazo.

Nesta sexta-feira, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, enviou comunicado às Confederações continentais e as Federações nacionais indicando que o futebol só deve voltar quando o risco do contágio não exista. Não precisa ser nenhum médico infectologista para saber que isso não vai acontecer na semana que vem. Nem na outra.

A reunião da FPF deverá apenas indicar que os clubes prorrogarão as férias até o final de abril. Inclusive porque, no caso de SP, o governo do Estado sinaliza que irá ampliar a quarentena até maio.

Em entrevista exclusiva ao BLOG, Walter Feldman disse que a CBF está alinhada com a FIFA . O secretário geral da CBF também disse que a entidade também alinhada às determinações do Ministério da Saúde. "Sabemos da angústia de todo mundo. Mas agora é a hora do 'fique em casa'. Os especialistas indicam ainda em um aumento do contágio e dos casos nos meses de abril e maio. Temos que seguir as orientações", afirmou o dirigente, que emendou: "Estamos todos em home office, os clubes também, e esse é o momento de pensarmos que quando for possível voltar, o futebol terá grandes chances de recuperar o tempo e o dinheiro. O futebol não está parado porque não está tendo jogo."

Aparentemente, entretanto, está parado para os jogadores e para os torcedores. Mas nos bastidores clubes e federações estabelecem pontes com o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. "Estamos em contato com todos os poderes para ajudar o futebol. Já finalizamos um documento com algumas demandas que amenizariam as perdas dos clubes, como o caso do não pagamento das parcelas do Profut no período. Estamos falando também com o Legislativo e o Judiciário para algumas medidas que possam beneficiar à volta do futebol", afirmou o secretário da CBF.

Mas a volta do futebol deverá mesmo ser aos poucos e "caseira'. Com fronteiras fechadas, barreiras sanitárias impostas e situações muito díspares nos Estados, a CBF enxerga que o futebol voltará nos Estaduais e, possivelmente, com portões fechados.

"Trabalhamos com muitos cenários. Mas é inegável que as situações diferentes nos países e nos Estados apontam para isso (retomar pelos Estaduais) e, possivelmente, com portões fechados. Temos é que ter calma, seguir as orientações do Ministério da Saúde. Agora é isso. Estamos envolvidos em projetos sociais para ajudar a comunidade durante a pandemia. O futebol pode ajudar. Também acabamos de formatar um grupo de médicos, o melhor grupo possível, para estudar o caso e nos ajudar na formatação de uma política e também recolher os números da Covid-19 no futebol", disse Feldman.

Mas não há data para esse estudo ficar pronto, e suas conclusões implantadas. Não há data para o futebol voltar.

Comentários