Pular para o conteúdo principal

Anúncios

Clubes do Rio tentam acordo por Estadual em maio sem público


Unânimes em finalizar o Campeonato Estadual no campo, os 16 clubes da Série A do Rio trabalham para voltar aos treinos o quanto antes, e querem encaixar o torneio em um intervalo de 12 a 15 dias até o fim de maio, sem público. Essa é a proposta que será discutida nesta quinta-feira entre os dirigentes e enviada para as autoridades, junto com os protocolos médicos que preveem a adoção de medidas de precaução para evitar a contaminação pelo coronavírus.

Nesta quarta, a Federação Paulista de Futebol seguiu a mesma linha. Quer finalizar a disputa sem público, mas o mesmo formato, ainda sem as datas.Passado exato um mês do último jogo nos estaduais de Rio e São Paulo, que paralisaram as rodadas até 30 de abril, os clubes querem provar que podem voltar a treinar sem riscos quando os responsáveis pela saúde autorizarem os jogos.

Mesmo que para isso as equipes tenham que adiar as férias, como já fizeram o Fluminense e os demais clubes da Série A do Brasileiro. Ao lado de Vasco e Botafogo, o Flamengo diz estar com tudo pronto para retornar na próxima semana, mas depende do aval do poder público.

Com mais 10 dias de férias, até dia 30 de abril, os treinos seriam retomados dia 1 de maio, com 15 dias de pré-temporada para o retorno das partidas da Taça Rio e as finais.

Testes em todos os envolvidos
Os clubes e a Federação de Futebol do Rio garantem que serão feitos testes em todas as pessoas envolvidas nos jogos. Além das medidas de distanciamento social aplicada aos treinamentos, com afastamento de alguns funcionários do grupo de risco.

A Ferj solicitou ao Governo Federal edição de Medida Provisória para estender por um mês os contratos de trabalho entre clubes e atletas de futebol. O pedido assinado pelo presidente Rubens Lopes foi endereçado ao presidente de República, Jair Bolsonaro.

Os clubes do Rio, principalmente os de menor investimento, encerraram os vínculos com a maioria dos atletas em abril. E o mínimo previsto para um contrato, segundo a Lei Pelé, são três meses. Ainda ontem, a comissão de médicos ajustou os protocolos preventivos para análise de dirigentes e autoridades para a volta do futebol carioca.

Com esse documento em mãos, os dirigentes do Rio farão nova videoconferência hoje para debater questões de calendário e econômicas. Além disso, as discussões trabalhistas se aprofundaram no Fluminense, que chegou a acordo para redução salarial dos atletas, apresentado ao Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro. O mês de março será diluído em 15%, o de abril será pago de maneira integral, enquanto o de maio diminuirá em 25%.

Fonte: Diogo Dantas - O Globo

Comentários