Pular para o conteúdo principal

Anúncios

Disney frustra planos de Dana White e UFC 249 é adiado

Dana White, presidente do UFC: 'É muito bom ver o crescimento da modalidade'
A intenção de Dana White, presidente do UFC, de ignorar a paralisação de grandes eventos esportivos em meio à pandemia de coronavírus. foi frustrada nesta quinta-feira 9. O UFC 249, que estava marcado para o dia 18 de abril, em uma reserva indígena na Califórnia, nos Estados Unidos, teve de ser adiado, por pressão da Disney, que é proprietária da ESPN, emissora detentora dos direitos de transmissão. As fortes críticas à jogada de marketing de Dana White fizeram as empresas envolvidas recuarem.

“Hoje, recebemos uma ligação do mais alto nível possível da Disney e da ESPN. Os poderes de lá me pediram para recuar e não fazer este evento no sábado que vem”, afirmou Dana White à própria ESPN. Pouco depois, o UFC oficializou a decisão, dizendo que não só o UFC 249, mas todos os outros eventos previstos estão adiados até segunda ordem.

As críticas à realização das lutas aumentaram nesta quinta depois que a lutadora americana Rose Namajunas anunciou que deixaria a sua luta contra a brasileira Jéssica Andrade “Bate Estaca”, devido à morte de dois parentes, vítimas da Covid-19. Além disso, uma senadora californiana, Dianne Feinstein condenou duramente a intenção do UFC de realizar o evento no Tachi Palace Casino Resorts.

Sediar o evento num cassino dentro de uma reserva indígena, a cerca de 300 quilômetros de Los Angeles, foi a forma encontrada por Dana White para driblar as restrições impostas por autoridades federais e estaduais que proibiram a realização de eventos esportivos no país. O cassino pertence à tribo Tachi-Yokut, parte da comunidade indígena Santa Rosa, cuja autonomia é reconhecida pelo governo federal americano, e que, portanto, mantém suas próprias regras.

O UFC realizou eventos com portões fechados, como o UFC Fight Night em Brasília, em 14 de março, e precisou adiar outros três eventos em março e abril. Desde então, a organização uniu suas forças para manter o UFC 249, que estava previsto para ocorrer no Barclays Center, no Brooklyn. Com a ausência de outras ofertas de eventos esportivos ao vivo, Dana White acreditava que obteria números ainda melhores com a venda de pay-per-view.

Dana White chegou a garantir que o evento em meio à pandemia não colocaria nenhum dos envolvidos em risco. Segundo ele, lutadores, treinadores, juízes e profissionais da transmissão já foram submetidos a exames e não estão infectados, e novos testes serão feitos no dia do evento.

Em entrevista a VEJA, o brasileiro Ronaldo Jacaré, que enfrentaria o jamaicano Uriah Hall, pelo peso-médio, disse confiar na organização. “Não só eu, o mundo todo está preocupado com o coronavírus, ninguém está imune. Mas tenho certeza de que o UFC vai cuidar da nossa saúde, como sempre fez”, afirmou o lutador capixaba de 40 anos.

Jacaré afirmou que nenhum atleta foi obrigado a participar do evento por questões contratuais. “Só vai quem quer, o Dana deixou aberta a possibilidade de não participar. Vejo que muita gente segue trabalhando e eu também tenho filhos e contas a pagar”, afirmou. Nesta quinta-feira, Dana White assegurou que vai recompensar os lutadores que tiveram seus combates cancelados e manteve seu compromisso de promover 42 eventos em 2020.

Fonte: Veja

Comentários