Pular para o conteúdo principal

Anúncios

Ligas perto do fim mantêm futebol na ativa no Burundi e na Nicarágua

Ligas perto do fim e poucos casos de coronavírus mantêm futebol em ...
Talvez só os mais profundos conhecedores de geografia sejam capazes de encontrar no mapa-múndi o Burundi e a Nicarágua sem cometer erros. Os pequenos países somam 14 casos do novo coronavírus e mantêm os campeonatos nacionais em disputa justamente por considerarem que o número é baixo e por viverem momentos decisivos das disputas locais.

No único local das Américas com futebol em andamento, a Nicarágua, o Estado encontrou o meia Christiano Fernandes. Um dos principais jogadores do Manágua, líder do campeonato local, mora há quatro anos por lá e gosta do clima quente e das praias da América Central. As partidas são realizadas com os portões fechados e resta somente uma rodada para o fim da primeira fase. Depois, os seis mais bem classificados avançam à etapa final.

“O país tem poucos casos. A vida está normal, como se fosse o Brasil antes de começar a pandemia. Não tem essa de estar caro o preço do álcool gel e essa loucura que está no Brasil. Eu me sinto um privilegiado, porque posso continuar a jogar futebol”, afirmou o jogador. “Eu acho que o campeonato não tem de parar. Só se tivesse algum risco ou perigo. Paralisar agora seria um exagero”, disse. A Nicarágua tem nove casos confirmados da covid-19.

A família de Christiano mora em Alagoas e tem se preocupado com o jogador. Por outro lado, o meia procura tranquilizar a todos e dizer inclusive que outros colegas de time também confiam nas condições de segurança. “Todos da minha equipe equipe apoiam a continuidade do futebol. É nosso sonho de criança jogar futebol. A gente ama o que faz, então estamos tranquilos”, afirmou.

O pequeno Burundi fica espremido na África Oriental entre República Democrática do Congo, Tanzânia e Ruanda. Antiga colônia belga, o país está a duas rodadas de terminar o campeonato local e tem quatro casos da covid-19 . Fora isso, vive ainda a expectativa de ter eleições presidenciais no próximo mês de maio.

O jornalista Patrick Sota trabalha no jornal local Arc-en-Ciel, um dos mais importantes do Burundi. O campeonato do país continua com a presença de público e com o posicionamento da federação local de que não é necessário se paralisar a disputa, já que a pandemia não tem muitos casos registrados por lá.

“Os times, jogadores e torcedores foram informados de que o coronavírus não vai se espalhar no Burundi. Se eles estão certos ou não, só o tempo vai dizer. O que sabemos é que o país tem uma morte por coronavírus e era porque se tratava de uma pessoa debilitada por um câncer”, afirmou Sota.

Para conter o avanço do coronavírus no país, o governo local espalhou baldes de água para a higiene das mãos e reforçou a presença de funcionários para controlar a temperatura das pessoas. Qualquer pessoa com caso suspeito da doença, poderá ser levada ao hospital, até mesmo de forma obrigatória.

Comentários