Pular para o conteúdo principal

Anúncios

UFC quebrará quarentena e fará evento em reserva indígena dos EUA

Dana White, presidente do UFC
Nem todos os grandes eventos esportivos do mundo foram paralisados nesta pandemia do coronavírus. Em uma decisão bastante controversa, o presidente do principal campeonato de MMA do mundo, Dana White, confirmou a realização do UFC 249 para o sábado dia 18 de abril, evento que será fechado ao público e com a presença de três lutadores brasileiros.

A sede das lutas ainda era mantida em sigilo pela organização – Dana chegou a dizer que seria em uma “ilha” –, mas na última terça-feira 7, o jornal americano New York Times revelou que o evento acontecerá na arena de um cassino localizado numa reserva indígena, na Califórnia. A informação foi confirmada nesta quarta 8 por VEJA.

Levar o UFC 249 para o Tachi Palace Casino Resort, a cerca de 300 quilômetros de Los Angeles, foi a forma encontrada por Dana White para driblar as restrições impostas por autoridades federais e estaduais que proibiram a realização de eventos esportivos no país. O cassino pertence à tribo Tachi-Yokut, parte da comunidade indígena Santa Rosa, cuja autonomia é reconhecida pelo governo federal americano, e que, portanto, mantém suas próprias regras.

O UFC realizou eventos com portões fechados, como o UFC Fight Night em Brasília, em 14 de março, e precisou adiar outros três eventos em março e abril. Desde então, a organização uniu suas forçar para manter o UFC 249, que estava previsto para ocorrer no Barclays Center, no Brooklyn. Com a ausência de outras ofertas de eventos esportivos ao vivo, Dana White acredita que obterá números ainda melhores com a venda de pay-per-view.

Dana White garante que o evento em meio à pandemia não colocará nenhum dos envolvidos em risco. Segundo ele, lutadores, treinadores, juízes e profissionais da transmissão já foram submetidos a exames e não estão infectados, e novos testes serão feitos no dia do evento.

A luta principal seria o aguardado duelo entre o russo Khabib Nurmagomedov e o americano Tony Ferguson, valendo o cinturão dos leves. O atleta europeu, no entanto, foi obrigado a seguir isolado em seu país e teve de ser substituído pelo americano Justin Gaethje na luta pelo título interino. A segunda luta mais importante do evento será entre a brasileira Jéssica Andrade “Bate-Estaca” diante da americana Rose Namajunas, pelo peso-palha feminino.

‘Tenho contas a pagar’, diz lutador que participará do evento – Outros dois brasileiros estão confirmados no evento. Ronaldo Jacaré enfrentará o jamaicano Uriah Hall, pelo peso-médio, enquanto Vicente Luque enfrentará o americano Niko Price entre os meio-médios.

Em contato com VEJA, Ronaldo Jacaré disse que segue treinando normalmente na garagem de sua casa e que confia nos procedimentos de segurança do UFC.“Não só eu, o mundo todo está preocupado com o coronavírus, ninguém está imune. Mas tenho certeza de que o UFC vai cuidar da nossa saúde, como sempre fez”, afirmou o lutador capixaba de 40 anos.

Fonte: Veja

Comentários