Pular para o conteúdo principal

Anúncios

Federação-DF sinaliza retorno do Candangão em julho; protocolos têm de ser cumpridos

Serejão está sem laudos e é problema para o reinicio do estadual
Depois de paralisado desde 18 de março em função da pandemia do Covid-19, o futebol do Distrito Federal enfim teve uma luz no fim do túnel sobre a data prevista para o retorno das atividades do Candangão 2020.
Em uma reunião realizada na noite da terça-feira através de vídeo conferência envolvendo Federação de Brasília e representantes dos oito clubes candangos sinalizou para o dia 18 de julho como data prevista para a retomada do campeonato brasiliense. Nesta data seria realizado o jogo atrasado da décima rodada envolvendo Gama x Real Brasília. A partir do dia 22 de julho então seria dado início na segunda fase da competição do Distrito Federal.

Dois julgamentos ainda por serem realizados são importantes pois podem de repente, alterarem os confrontos da segunda fase da competição. Estarão na pauta do TJD-DF, o Capital Clube de Futebol e o Sobradinho Esporte Clube. O primeiro será julgado por ter supostamente escalado um jogador de forma irregular. O Sobradinho será julgado pois uma partida com seu mando de campo, uma faixa foi colocada nas arquibancadas contra a arbitragem candanga.
PROTOCOLO DE SEGURANÇA
O diretor técnico da Federação de Futebol do Distrito Federal, Márcio Coutinho, falando à Rádio DF10 de Brasília falou sobre as providências que serão tomadas para a busca do retorno do futebol do Distrito Federal:

“Ficou acertado na reunião o envio para a Secretaria de Esporte e para a Secretaria de Saúde a proposta das datas. Ainda, temos o protocolo das questões relacionadas aos exames necessários sobre a Covid-19. Existe uma possibilidade dos clubes terem o apoio da Secretaria de Saúde do DF para a realização destes exames. A partir daí vamos aguardar a resposta do Governo de Brasília”, disse o diretor técnico da FFDF.
 
Outra questão importante está relacionada com os alvarás e laudos dos estádios para o Candangão. As praças esportivas fora de Brasília, caso do estádio Diogão em Formosa e o Serra do Lago, em Luziânia, ambos estão em situação regular.

O grande problema em Brasília é que somente o estádio Mané Garrincha e o estádio Defelê, ambos que estão sendo cuidados por particulares, tem condições. Os outros estádios dependem de ações governamentais para sua liberação. A Secretária de Esportes e Lazer de Brasília, Celina Leão, prometeu uma força de trabalho do GDF para resolver as questões dos estádios do poder público candango.
CLUBES COMEÇAM A SE MOVIMENTAR
O Gama, do técnico Vilson Tadei, acabou perdendo dois atletas. O volante Tarta foi emprestado ao Juventude de Caxias do Sul. O goleiro Rafael Copetti está acertando com o Pelotas/RS.

O Brasiliense já está realizando testes em seus atletas, comissão técnica sobre o Covid-19. Após os resultados dos exames, os atletas habilitados então começarão seus treinamentos. O Real Brasília renovou contrato com 10 jogadores na quarta-feira. O Capital foi o primeiro clube a desenvolver o protocolo para a volta de suas atividades.

Comentários