Pular para o conteúdo principal

Anúncios

Parabéns Macaé Esporte!!! 30 anos de história e conquistas

Escudos do Macaé, desde sua fundação, em 17 de julho de 1990 — Foto: Macaé Esporte
O Macaé chegou aos seus 30 anos nesta sexta-feira, e a história que carrega é de um time que nasceu no interior do Rio de Janeiro, em 17 de julho de 1990, para deixar marcas importantes nas grandes disputas do futebol brasileiro.

O Globoesporte.com mostra, a partir de agora, que o clube - já chamado de Panelinha, Botafogo Futebol Clube, Macaé Sports e, por fim, Macaé Esporte Futebol Clube, a partir do ano 2000 - sonhou alto e, com os pés firmes no gramado, conseguiu alcançar feitos memoráveis.

O clube se tornou profissional oito anos depois de sua criação, ainda como Botafogo. E, logo no primeiro ano, conquistou, de forma invicta, o Campeonato Carioca da Série C, além do vice-campeonato da Copa Rio do Interior. O Alvianil Praiano também chegou à semifinal da Copa Rio da Capital, quando caiu para o Fluminense.
Comemorações do elenco do Macaé Esporte, fundado em 17 de julho de 1990 — Foto: Tiago Ferreira/Macaé Esporte
Séries D e C do Brasileirão
A história do Macaé também estava lá, no primeiro capítulo da história da série D do Brasileirão. A equipe marcou o primeiro gol na edição número um do campeonato, criado em 2009. O feito foi do jogador camaronês Steve, aos 16 minutos do primeiro tempo, contra o Fluminense/BA. A primeira partida da série D ocorreu no dia 5 de julho, em Mesquita (RJ).

Depois disso, o Leão só foi freado na final, quando perdeu para o São Raimundo-PA por 2 a 1. Macaé saiu como vice-campeã e conseguiu o acesso para a série C de 2010. Porém, o primeiro título nacional do clube foi na série C de 2014.

E voltando a falar do camaronês Steve, este teve papel importante em diferentes momentos da trajetória do Macaé. Além de ser dele o primeiro gol da história da série D do Brasileiro, ele também fez o primeiro gol do Macaé na primeira divisão do Campeonato Carioca, na vitória contra o América, e o primeiro gol do Leão no Maracanã, no empate diante do Fluminense.
Gol de Steve, macaé x america, 2008 — Foto: Rui Porto Filho / Arquivo
Acesso à série B
A classificação à série B nacional foi um dia muito marcante. Em 2014, o clube conquistou o inédito acesso diante de mais de 62 mil torcedores do Fortaleza, em pleno Castelão, nas quartas de final. A partida, que terminou em um empate em 1 a 1, com tento do atacante Juba, foi na época, o maior público do ano em campeonatos brasileiros.

- Foi o meu primeiro gol e o mais importante da minha carreira e entra pra história do clube. Fico feliz por fazer parte deste grupo batalhador e unido que conquistou essa vaga para a série B - disse Juba após a partida.
Gedeil é o jogador que mais vestiu a camisa do Macaé, se tornando ídolo do clube — Foto: Arquivo pessoal
Ídolo
Um jogador que participou de momentos importantes no clube e se tornou ídolo foi Gedeil. O volante é o jogador que mais vezes vestiu a camisa do Leão. Ao Globoesporte.com ele explicou sobre o caminho percorrido no time.

- Eu cheguei no Macaé em 2006, emprestado pelo Friburguense. Fiquei um tempo lá e depois passei por outros clubes, até que no final de 2016 decidi me aposentar. Fiquei dois anos longe dos campos. Retornei ao time somente em dezembro de 2018.

Na conquista da série C, que colocou o Macaé, pela primeira vez, entre os 40 melhores clubes do Brasil, Gedeil era o capitão do time. Ele contou à reportagem sobre a emoção que sentiu.

- Foi muito gratificante aquele momento. Eu vi que valeu a pena ter ficado tanto tempo no Macaé, nós batemos na trave durante 3 anos e eu sempre continuei no clube mesmo passando por momentos difíceis. Quando levantei a taça, eu só pensei que valeu a pena tudo o que passei - relembrou.
O presidente Mirinho também relembra essa conquista como a mais importante da história do Macaé Esporte.

- Foi um dos momentos mais marcantes que eu vivenciei com o clube.

"Lembro que, aos 32 minutos, o Diego empatou para nós, e no final do jogo o nosso goleiro fez altas defesas, impendido mais um gol do Paysandu. Quando o juiz apitou, o fim do jogo foi uma festa. Eu desci as escadas para comemorar com o time, foi uma emoção - recordou Mirinho.
Macaé comemorando o título da Série C, em 2014 — Foto: Tiago Ferreira
Macaé Esporte: 2020 e o futuro
No início deste ano, parte da cobertura do Moacyrzão, estádio onde joga o Leão, desabou após chuva na cidade. No dia seguinte à queda, o estádio ainda sofreu um princípio de incêndio durante obra no local. Com esses incidentes, o clube não pôde mais utilizar o espaço para os jogos durante a Seletiva para o Carioca.

Porém, para o próximo ano, os planos do presidente do Macaé é que o time mande os jogos no Moacyrzão, que é a sua casa. Além disso, pede mais apoio da torcida e que as empresas possam ajudar mais o esporte no município.

Pelo estadual, o clube do Norte Fluminense ficou em último lugar no grupo B, conquistando 8 pontos, ao todo, nos dois turnos. No primeiro turno foram 1 vitória, 1 empate e 4 derrotas. Já no segundo turno, a equipe teve 1 vitoria, 1 empate e 3 derrotas.

Um fato curioso foi que o Macaé não sofreu gols dos campeões da Taça Guanabara e da Taça Rio. A estreia do Leão foi contra o Flamengo na TG e assegurou o empate de 0 a 0. Já o último jogo pela Taça Rio foi contra o Fluminense, que também ficou no 0 a 0.

O Alvianil Praiano permanece na elite do Carioca em 2021 e volta aos treinos a partir de outubro para se preparar para a competição.

Juliana Gandard, estagiária sob a supervisão de Ariane Marques - Globo Esporte

Comentários